Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008

Efeméride: 400 anos da morte de Isaac Abravanel

 

Isaac Abravanel (ou Abrabanel) pensador judeu português (Lisboa, 1437 - Veneza, 1508), pai do célebre filósofo renascentista Judas Abravanel, mais conhecido por Leão Hebreu. Foi ministro de D. Afonso V e esteve também ao serviço de Fernando o Católico até à expulsão (1492) dos judeus de Espanha. Escreveu comentários a vários livros da Bíblia e da Torah e obras de natureza filosófica como Pináculo da Fé (Amesterdão, 1505) e Forma dos Elementos (Salamanca, 1557).
Figura muito esquecida entre nós, no plano internacional ainda é referência obrigatória nos estudos de exegese bíblica e de pensamento judaico medieval, sendo debatida a sua possível influência sobre a obra de Leão Hebreu.

 

Ver também aqui.

 

publicado por annualia às 13:31
link do post | comentar
Quinta-feira, 29 de Maio de 2008

Datas perdidas

A conquista de Constantinopla pelos Turcos Otomanos chefiados por Maomé II, a 29 de Maio de 1453, representou o fim do Império Romano do Oriente e, para muitos, assinala o fim da Idade Média e o início da Idade Moderna.

A antiga Bizâncio, tomou o nome de Constantinopla, «cidade de Constantino», quando este imperador resolveu transformá-la numa nova Roma (323-330), para a qual transferiu a sede do Império e onde passou a residir. Tornou-se, mais tarde (395), a capital do Império Romano do Oriente ou Império Bizantino.

Constantinopla gozou de um estatuto especial desde o tempo de Constantino, que confiara a sua administração a um «arconte», ao qual dera, posteriormente, o título de «procônsul». O imperador Constâncio transferiu as suas funções para um «prefeito da cidade», que se manteve durante todo o Império, membro do Senado, dispunha de jurisdição civil e criminal sobre a cidade e arredores.

Em 29.5.1453, Constantinopla caiu em poder dos Turcos com todo o Império. A autoridade soberana, política e religiosamente, passou a ser o «sultão», Senhor absoluto, dotado de poderes ilimitados, governando através dos «quatro pilares do Estado», os seus ministros, o primeiro dos quais é o «grão vizir», seu lugar-tenente e chefe supremo de todos os serviços administrativos.

Com a conquista, os turcos bloquearam as milenares rotas de comércio entre a Europa e o Oriente.

 

 

publicado por annualia às 08:34
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Efeméride: 400 anos da mo...

Datas perdidas

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO