Quinta-feira, 20 de Março de 2008

Paul Scofield (1922-2008)

O actor inglês (Hurstpierpoint, West Sussex, 21.1.1922 – ibid., 19.3.2008) Paul Scofield iniciou a sua carreira no teatro, onde se distinguiu sobretudo nas interpretações de personagens de Shakespeare. Em 1955, estreou-se no cinema em That Lady, de Terence Young. Em 1966, o seu trabalho como Thomas More em A Man For All Seasons (1966, de Fred Zinneman) projectou-o para o reconhecimento internacional, tendo sido distinguido com um Óscar. Escolhido por Peter Brook para integrar o elenco de Tell Me Lies (1968) e King Lear (1971), dos trinta e tantos filmes em que participou, refiram-se ainda The Train (1964, de John Frankenheimer e Arthur Penn), Bartleby (1970, de Anthony Friedman), Scorpio (1973, de Michael Winner), A Delicate Balance (1973, de Tony Richardson), Henry V (1989, de Kenneth Brannagh), Hamlet (1990, de Franco Zeffirelli), Utz (1992, de George Sluizer), Quiz Show (1994, de Robert Redford) pelo qual foi nomeado para o Óscar de Melhor Actor Secundário, e The Crucible (1996, de Nicholas Hytner), onde mais vez atraiu as atenções, tendo recebido pelo seu desempenho o prémio BAFTA. De salientar também a sua participação na mini-série televisiva Martin Chuzzlewit (1994, dirigida por Pedr James).
Paul Scofield em A Man For All Seasons, de Fred Zinnemann
publicado por annualia às 22:27
link do post | comentar

Philip Jones Griffiths (1936-2008)

Fotógrafo britânico (Rhuddlan, País de Gales, 18.2.1936 – Inglaterra, 19.3.2008) que começou a sua carreira como free-lance no Observer, em 1962. Fez a cobertura da guerra da Argélia em 1962, tendo depois viajado e vivido na África central. Entre 1966 e 1971 esteve no Vietname, sobre cuja guerra e respectivas consequências entre a população civil produziu diversas obras, como Agent Orange: Collateral Damage in Viet Nam (fotografias disponíveis no link capa do livro). Ligado à Agência Magnum, primeiro como associado e depois como membro, fez a cobertura da guerra do Yom-Kippur, em 1973, seguindo para o Cambodja em 1975 e para a Tailândia, onde permaneceu entre 1977 e 1980, ano em que parte para Nova Iorque para assumir durante cinco anos a chefia da Magnum.
Agent Orange:  Collateral Damage in Viet Nam
publicado por annualia às 13:49
link do post | comentar
Terça-feira, 18 de Março de 2008

Anthony Minghella (1954-2008)

Realizador, argumentista e produtor cinematográfico inglês de ascendência italiana (Ryde, Ilha de Wight, 6.1.1954 – Londres, 18.3.2008). Depois de frequentar a Universidade de Hull, foi docente universitário e ganhou notoriedade como dramaturgo, tenho sido distinguido, em 1984, com o London Theater Critics Award para os talentos emergentes, e consagrado, dois anos depois, pela peça Made in Bangkok.
Como realizador, a sua carreira começou em 1990 com o filme Truly Madly Deeply (por cujo argumento recebeu um prémio BAFTA -- British Academy of Film and Television Arts Award), a que se seguiria Mr. Wonderful (1993), protagonizado por Matt Dillon. Três anos depois surgiria The English Patient, baseado no romance de Michael Ondaatje, um filme que arrebatou 9 Óscares, incluindo o de Melhor Realizador. No mesmo filme, Juliette Binoche arrecadaria o Óscar para Melhor Actriz Secundária, mas houve outros actores nomeados: Ralph Fiennes e Kristin Scott Thomas. De 1999 é The Talented Mr. Ripley, adaptação do romance de Patrícia Highsmith, com Matt Damon, Gwyneth Paltrow, Cate Blanchett, Jude Law (nomeado para os Óscares, receberia o prémio BAFTA), Philip Seymour Hoffman e Jack Davenport. Em 2000, passaria ao cinema Play, de Beckett. Com Cold Mountain (2003) regressaria a Jude Law, que contracenou com Nicole Kidman e Renée Zellweger, que aliás recebeu o Óscar para Melhor Actriz Secundária pelo seu desempenho. Jude Law encabeçou ainda o elenco de Breaking and Entering (2006). Anthony deixou pronto (2008) um outro filme, cujo argumento se baseia numa história de Alexander McCall Smith e cuja acção se desenrola no Botswana: The No. 1 Ladies Detective Agency.
Em 2001, Minghella, que se considerava mais escritor que cineasta, mas também dirigiu o British Film Institute, foi feito CBE (Commander of the British Empire) por ocasião do aniversário da Rainha.
publicado por annualia às 23:11
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Paul Scofield (1922-2008)

Philip Jones Griffiths (1...

Anthony Minghella (1954-2...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO