Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

Prémio de Literatura Biográfica/ João Bigotte Chorão por Diário Quase Completo

O Grande Prémio de Literatura Biográfica da Associação Portuguesa de Escritores (Associação Portuguesa de Escritores) e da Câmara Municipal de Castelo Branco foi atribuído ao livro Diário Quase Completo, de João Bigotte Chorão.
A decisão de distinguir esta obra, publicada pela Imprensa Nacional - Casa da Moeda, foi tomada por um júri presidido por José Correia Tavares (vice-presidente da APE) e constituído por Artur Anselmo, Cristina Robalo Cordeiro e  Clara Rocha.

 

João Bigotte Chorão é um escritor português (Guarda, 1933) ligado, por gosto e formação, às culturas italiana e francesa, prestando particular atenção ao diarismo, ao memorialismo e à epistolografia, áreas de que é profundo conhecedor. A sua obra reparte-se sobretudo pelo ensaio e pelo diário. De formação humanista cristã, João Bigotte Chorão foi director literário da Editorial Verbo e aí teve a seu cargo o departamento de Enciclopédias e Dicionários, no âmbito do qual dirigiu a publicação da Enciclopédia Verbo – Edição Século XXI (29 volumes, 1998-2003), para a qual também redigiu numerosos verbetes. É um colaborador assíduo de Annualia.
Algumas obras, além da intensa colaboração em revistas, de numerosos prefácios, estudos e palestras: Vintila Horia ou um Camponês do Danúbio (1978), Camilo. A Obra e o Homem (1979; 2.ª ed. rev.: Camilo, Esboço de um Retrato, 1989); João de Araújo Correia, um Clássico Contemporâneo (1986); O Escritor na Cidade (1986); Carlos Malheiro Dias na Ficção e na História (1992); Camilo Camiliano (1993); O Essencial sobre Camilo (1997); Nossa Lisboa dos Outros (1999); O Essencial sobre Tomaz de Figueiredo (2000); Galeria de Retratos (2000); Diário Quase Completo (2001); O Espírito da Letra (2004).
 
publicado por annualia às 12:13
link do post | comentar
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Joel Serrão (1919-2008)

Historiador, investigador e ensaísta português (Funchal, 1919 - Lisboa, 6.3.2008). Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi professor liceal até 1972. Exerceu depois funções docentes na Universidade de Lisboa e na Universidade Nova de Lisboa. Pertenceu ao conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian. Dirigiu o Dicionário da História de Portugal, que ainda hoje constitui uma referência fundamental da historiografia portuguesa do século XX. Na linha da historiografia dos Annales, que marcou muito a sua época, dedicou particular atenção a problemas culturais e literários, especialmente do século XIX, privilegiando uma perspectiva sociológica e um ensaísmo de linha sergiana. De salientar os seus contributos para o conhecimento e revalorização de autores como Cesário Verde, Sampaio Bruno e D. Francisco Manuel de Melo. Foi também um dos pioneiros dos estudos pessoanos, sobretudo na compilação, edição e interpretação de textos sobre a sua ideia de Portugal e relações com o Sebastianismo.
Com A. H. de Oliveira Marques dirigiu também uma Nova História de Portugal e uma Nova História da Expansão Portuguesa.
A sua vasta obra abrange: O Carácter Social da Revolução de 1383 (1946), Cesário Verde: Interpretação, Poesias Dispersas e Cartas (1957), Sampaio Bruno: O Homem e o Pensamento (1959), Temas Oitocentistas I (1959), Temas de Cultura Portuguesa (1960), D. Francisco Manuel de Melo, Alterações de Évora-1637 (1967, Introdução, fixação do texto, Apêndice Documental e Notas),  Do Sebastianismo ao Socialismo em Portugal (1969), Iniciação ao Filosofar (1970), Cronologia Geral da História de Portugal (1971), Portugueses Somos (1975), O Sentido de Portugal segundo Fernando Pessoa (1976), Testemunhos sobre a Emigração Portuguesa (1978), Temas Oitocentistas II (1978), Fernando Pessoa, Cidadão do Imaginário (1981), Génese e Estrutura do Pensamento Sócio-Político de Antero de Quental: Introdução a Antero de Quental: Prosas Sócio-Políticas (1982), O Primeiro Fradique Mendes (1985), Notas sobre a situação da mulher portuguesa oitocentista (1986), Temas Históricos Madeirenses (1992).
publicado por annualia às 15:32
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio de Literatura Biog...

Joel Serrão (1919-2008)

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO