Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Gangubai Hangal (1913-2009)

Cantora clássica indiana (Hangal, Karnataka, 5.3.1913 – Hubli, Karnataka, 21.7.2009) que fez história por ter sido uma das poucas mulheres a triunfar no mundo masculino do canto clássico, tornando-se membro ilustre da escola musical designada por Kirana Gharana, fundada por Ustad Abdul Karim Khan. Para tal, Gangubai teve de romper fortes barreiras de género e de casta. Em certo momento, uma doença fez com que perdesse a voz, mas, superado esse momento, regressou ao canto com uma voz de timbre mais grave, quase masculino, que a tornou ainda mais inconfundível. O seu primeiro grande concerto teve lugar em Bombaim (Mumbay), em 1933, e cantou pela última vez em público em 2007, em Dharward, quando foi feita membro da Sangeet Natal Akademi, um honra concedida a muito poucos, que a distinguira com um prémio em 1973. Gangubai foi galardoada também com os prémios da Academia Karnataka Sangeet Nritya (1962), Padma Bhushan (1971), Padma Vibhushan (2002).


 

 

publicado por annualia às 09:47
link do post | comentar
Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008

Prémio Booker 2008

image of the book cover The White Tiger

image of the author Aravind Adiga

 Aravind Adiga (n. Madras, 1974), passou parte da infância na Austrália. studou nas universidades de Colúmbia e Oxford. Foii correspondente da TIME na Índia e artigos seus apareceram nos jornais The Financial Times, The Independent e Sunday Times.

The White Tiger é uma história sobre duas Índias. A saga de Balram, filho de um puxador de rickshaw, da obscuridade da vida de aldeia ao luminoso triunfo empresarial.

 

publicado por annualia às 12:54
link do post | comentar
Terça-feira, 20 de Maio de 2008

20 de Maio de 1498: chegada de Vasco da Gama a Calecute, Índia

Já a manhã clara dava nos outeiros
Por onde o Ganges murmurando soa,
Quando da celsa gávea os marinheiros
Enxergaram terra alta pela proa.
Já fora de tormenta, e dos primeiros
Mares, o temor vão do peito voa.
Disse alegre o piloto Melindano:
«Terra é de Calecu, se não me engano».

«Esta é por certo a terra que buscais
Da verdadeira Índia, que aparece;
E se do mundo mais não desejais,
Vosso trabalho longo aqui fenece.»
Sofrer aqui não pode o Gama mais,
De ledo em ver que a terra se conhece:
Os geolhos no chão, as mãos ao céu,
A mercê grande a Deus agradeceu.

 

Luís de Camões, Os Lusíadas, Canto VI

 

publicado por annualia às 11:04
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Gangubai Hangal (1913-200...

Prémio Booker 2008

20 de Maio de 1498: chega...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO