Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

Maurice Béjart (1927-2007)

Bailarino  francês que revolucionou a dança e se tornou um dos maiores nomes da coreografia contemporânea (Marselha, 1.1.1927 - Lausanne, 22.11.2007). Estreou-se em 1945 na ópera de Marselha e praticou, durante dez anos, a chamada «dança clássica», que lhe deu uma técnica perfeita. Insatisfeito, compreendeu que o 

ballet é apenas a forma condensada de uma arte com múltiplas possibilidades. Em 1955, com Symphonie pour un homme seul, interpretada por ele com música concreta, dá­-se a revelação. A dança passa a ser a expressão de um drama: o do homem do século xx em face das suas próprias angústias. Virando as costas à Academia, dirigiu o Ballet du XXième Siècle no Théâtre Royal de la Monnaie, de Bruxelas, e depois o Ballet Lausanne, renomeado Béjart Ballet Lausanne, explorando todos os recursos da arte coreográfica, arriscando-se, por esse motivo, a voltar a utilizar os elementos da dança clássica, que lhe parecem definitivos (Boléro, Suite Viennoise, IX Sinfonia, Romeu e Julieta). Maurice Béjart criou uma nova fórmula de espectáculo total, ligando à dança obras líricas ou teatrais: A Viúva Alegre, A Danação de Fausto, La Reine verte e Messe pour le temps présent que, pela liberdade formal de reunir ballet, cantata e mimodrama, foi objecto de muitas controvérsias. Num dos seus espectáculos, Baudelaire, faz a fascinante apologia do «poeta maldito», onde música de Wagner, havaiana e psicadélica alterna com trechos do poeta francês. Entre as suas últimas coreografias contam-se  Ring um den Ring (1990), MutationX (1998),  Mère Teresa et les enfants du monde (2002), Ciao Federico (sobre Fellini, 2003), Zarathoustra (2006). O seu último trabalho, cuja estreia está marcada para Dezembro, chama-se Volta ao Mundo em 80 Dias. Maurice Béjart foi distinguido pelo imperador japonês Hirohito com a Ordem do Sol Nascente (1986), nomeado Grande Oficial da Coroa (1988) pelo rei belga Balduíno, e eleito em 1994 membro da Academia francesa das Belas Artes. [www.bejart.ch]
publicado por annualia às 14:03
link do post
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio de Poesia Luís Mig...

Prémio Pessoa 2009/ D. Ma...

Prémio Goncourt de Poesia...

Prémio Cervantes 2009/ Jo...

O Homem da Capa Verde

Anselmo Duarte (1920-2009...

Francisco Ayala (1906-200...

Claude Lévi-Strauss (1908...

Prémio Goncourt/ Marie Nd...

Alda Merini (1931-2009)

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO