Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008

Globos de Ouro 2008

Os Globos de Ouro são atribuídos pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood


Melhor Filme

Atonement (de Joe Wright)

 

 

Melhor Actriz Dramática

Julie Christie (Away From Her, de Sarah Polley)

 

Melhor Actor Dramático

Daniel Day-Lewis (There Will Be Blood, de Paul Thomas Anderson)

 

Melhor Musical ou Comédia

Sweeney Todd: The Demon Barber of Fleet Street (de Tim Burton)

 

Melhor Actriz em Filme Musical ou Comédia

Marion Cotillard (La Vie en Rose)

 

Melhor Actor em Filme Musical ou Comédia

Johnny Depp (Sweeney Todd)

 

Melhor Actriz Secundária

Cate Blanchett (I'm Not There)

 

Melhor Actor Secundário

Javier Bardem (No Country for Old Men)

 

Melhor Filme de Animação

Ratatouille (de Brad Bird)

 

Melhor Filme Estrangeiro

The Diving Bell and the Butterfly (de Julian Schnabel)

 

Melhor Realizador

Julian Schnabel (The Diving Bell and the Butterfly)

 

 

Melhor Argumento

Joel e Ethan Coen (No Country for Old Men)

 

Melhor Partitura Original

Atonement (Dario Marianelli)

 

Melhor Canção Original

Guaranteed (Into the Wild), de Eddie Vedder

 

Melhor Série de Televisão

Mad Men

manmen001.jpg

 

Melhor Actriz em Série de Televisão

Glenn Close (Damages)

 

Melhor Actor em Série de Televisão

John Hamm (Mad Men)

 

Melhor Série Musical ou de Comédia

Extras (BBC e HBO Entertainment)

 

Melhor Actriz em Série Musical ou Comédia

Tina Fey (30 Rock)

 

Melhor Actor em Série Musical ou Comédia

David Duchovny (Californication)

 

Melhor Mini-Série ou Fime para Televisão

Longford (Granada Production com o Channel 4 e HBO Films)

 

Melhor Actriz em Mini-Série ou Fime para Televisão

Queen Latifah (Life Support)

 

Melhor Actor em Mini-Série ou Fime para Televisão

Jim Broabent (Longford)

 

Melhor Actriz Secundária em Mini-Série ou Filme para Televisão

Samantha Morton (Longford)

 

Melhor Actor Secundário em Mini-Série ou Fime para Televisão

Jeremy Piven (Entourage)

www.goldenglobes.org

 

 

publicado por annualia às 16:07
link do post | comentar

Língua Portuguesa

A SIC vai avançar com a quarta edição do Campeonato de Língua Portuguesa. Este ano o concurso deixa de ter no seu título "Nacional", por estar também aberto à participação de concorrentes dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa). Outra das novidades será a competição "Especial Escolas", destinada a todos os alunos do ensino básico e secundário que sejam propostos por um professor. (Fonte: Jornal de Notícias)
publicado por annualia às 15:57
link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 13 de Janeiro de 2008

Verbo: 50 anos

0001cpw5

  

Editorial Verbo

1958-2008

 

publicado por annualia às 11:06
link do post | comentar

Ángel González (1925-2008)

Poeta espanhol de origem asturiana (Oviedo, 6.9.1925 - Madrid, 12.1.208). Integrou a geração de José Ángel Valente, Jaime Gil de Biedma, Carlos Barral, José Agustín Goytisolo e José Caballero Bonald, a sua poesia, de preocupação social, oscila entre dois pólos temáticos: a solidariedade e a liberdade. Membro da Real Academia de la Lengua, foi distinguido, em 1985, com o Prémio Príncipe das Astúrias, categoria Letras, e em 1996 foi-lhe concedido o Prémio Rainha Sofia de Poesia Iberoamericana. En 2001 recebeu o Prémio Julián Besteiro de Artes e Letras. En 2004 foi o primeiro vencedor do Prémio de Poesia Cidade de Granada-Federico García Lorca. Ángel González viveu nos EUA e ensinou Literatura na Universidade de Albuquerque.

A sua obra inclui Áspero mundo (1956), Grado elemental (1962), A todo amor (1988), Lecciones de cosas y otros poemas (antologia, 1998) e Otoño y otras luces (2001).

Otro tiempo vendrá distinto a este
Y alguién dirá:
«Hablaste mal. Debiste haber contado
otras historias:
violines estirándose indolentes
en una noche densa de perfumes,
bellas palabras calificativas
para expresar amor ilimitado.
amor al fin sobre las cosas
todas»
Pero hoy,
cuando es la luz del alba
como la espuma sucia
de un dia anticipadamente inútil,
estoy aqui
insomne, fatigado, velando
mis armas derrotadas,
y canto
todo lo que perdi: por lo que muero.

publicado por annualia às 02:35
link do post | comentar
Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008

Pepín Bello (1904-2008)

Pepín Bello (Huesca, 1904 - Madrid, 11.1.2008) era o último elemento vivo da chamada Geração de 27, designação que abrange, no campo literário, nomes como os de García Lorca, Rafael Alberti, José Bergamín, Pedro Salinas, Jorge Guillén, Dámaso Alonso, Gerardo Diego entre muitos e muitos outros, como o pintor Salvador Dalí ou o cineasta Luis Buñuel, que com Pepín Bello coincidiram na famosa Residencia de Estudiantes de Madrid, da qual Pepín Bello era agora presidente honorário.

Embora sem obra literária ou outra, é unânime o reconhecimento de que Pepín Bello teve um papel fundamental como elo de ligação e aglutinador de vontades e entusiasmos entre grande número de elementos daquele grupo, de quem foi amigo próximo.

«Pepín era genial… se pasaba el tiempo por las calles, sin hacer nada, haciendo el putrefacto, inventando… Esto fue cuando salió el “anaglifo”, el “ruismo”… El ruismo era la tendencia a ir por las calles.
Rafael Alberti a Max Aub na revista Helix, 1929

(Fonte: http://tausiet.blogsome.com/)

[foto de la noticia]

Da esquerda para a direita:Joaquín Romero Murube, Jorge Guillén, Federico García Lorca, J. A. Rubio Sacristán e Pepín Bello. (Foto: El Mundo)

publicado por annualia às 17:47
link do post | comentar

Datas perdidas

No século XIX o nacionalismo que fermentou nos Balcãs atingiu também a Albânia, intensificando-se a partir de 1878 sob o lema «A união das terras da Albânia num único Estado». A independência foi proclamada a 28 de Novembro de1912. A coroa albanesa foi oferecida, em 1914, ao príncipe alemão Guilherme de Wied. Este, com o deflagrar da I Guerra Mundial, abandonou o país, que mergulhou na anarquia.

Em 1925, o chefe tribal Ahmed Bey Zogu ascendeu à presidência do país, tornando-se rei constitucional em 1928. Em 1939, a Itália apoderou-se da Albânia e o rei refugiou-se no estrangeiro. A resistência contra o invasor levou ao Poder Enver Hodja, que impôs em 11 de Janeiro de 1946 a ditadura comunista que vitimou grande parte do clero católico.

As tentativas de hegemonia jugoslava e moscovita levaram à ruptura com Belgrado, em 1948, e com Moscovo, em 1961, privilegiando a Albânia as suas relações com a China, mas também rompeu com esta em 1978.

A partir de 1967, a Albânia foi o primeiro Estado de todo o Mundo que se declarou oficialmente ateu, consagrando a Constituição de 1976 o propósito de «desenvolver a propaganda ateia».

A Albânia acabou por estabelecer relações comerciais com diversos países, situação que se acelerou a partir de 1970. Em 1991, na senda das transformações verificadas no Leste europeu, o regime comunista ruiu, deixando visíveis o extremo atraso e a pobreza do país, que aderiu nessa altura ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional. Sob o ponto de vista político, a Albânia é hoje um Estado de regime multipartidário, com Assembleia legislativa e Presidente da República eleitos democraticamente e Governo nomeado pela Assembleia.

publicado por annualia às 11:24
link do post | comentar

Edmund Hillary (1919-2008)

Alpinista e explorador neozelandês (Auckland, 1919 - 11.1.2008). Durante uma das suas expedições no Himalaia, acompanhado pelo sherpa Tenzing Norgay, foi o primeiro a atingir o cume do pico Evereste, em 29 de Maio de 1953. Durante o Ano Geofísico Internacional, participou numa expedição transcontinental ao Antárctico, atingindo o Pólo Sul (4.1.1958). Dirigiu depois (1961, 1963, 1964) outras expedições ao Himalaia. Tem várias obras publicadas, como The Crossing of Antarctica (1958).
 Sir Edmund Hillary and Fellow Climbers, Mount Everest - 1953 Click to view large image.

















publicado por annualia às 01:05
link do post | comentar
Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008

Prémio EDP Novos Artistas

O Prémio EDP Novos Artistas foi atribuído a André Romão, por um júri constituído por

José Manuel dos Santos, Adam Budak, Claude Bussac, João Queiroz e Manuel Costa Cabral. O trabalho com que o jovem artista se apresentou a concurso chama-se

Campo de" Fiori (Parte I: O Edifício Iluminado; Parte II: Monumento à Unificação).

André Romão (n. 1984) é licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, André Romão frequentou os cursos de Pintura da Accademia di Belle Arte di Brera, Milão, e do Ar.Co, em Lisboa.

Pode ver outros trabalhos de André Romão aqui.

 

publicado por annualia às 16:10
link do post | comentar

Prémio Nadal 2008

Francisco Casavella venceu o Prémio Nadal 2008 com o romance Lo que sé de los vampiros, cuja acção decorre no século XVIII, no momento da expulsão dos Jesuítas de Espanha. O protagonista, Martín de Viloalle, assumirá durante a sua vida as consequências da única decisão que toma com liberdade plena: acompanhar os Jesuítas expulsos de Espanha em 2 de Abril de 1767. Essa e outras circunstâncias tragicómicas levá-lo-ão a Roma, ao reino da Dinamarca, à revolucionária Paris e ainda mais além. (Fonte: Casa del Libro)
publicado por annualia às 11:20
link do post | comentar
Terça-feira, 8 de Janeiro de 2008

Centenário da morte de D. João da Câmara

Hemeroteca Municipal

Mostra bibliográfica e documental

D. João da Câmara - Vida e Obra

Mostra que tem por objectivo revisitar a obra literária de D. João da Câmara (1852-1908), com destaque para a sua actividade como dramaturgo e jornalista. Apesar do valor literário desta obra, há um enorme desconhecimento da importância de D. João da Câmara para o teatro e o jornalismo português. O centenário da sua morte constitui, portanto, uma excelente oportunidade para recuperar e divulgar as peças de D. João da Câmara, o sucesso que teve na época, bem como a sua brilhante actividade como jornalista. A mostra reúne documentação proveniente das colecções da Hemeroteca, de outras bibliotecas municipais e de particulares.

Local:
Átrio e Escadaria da Hemeroteca
Inauguração: 2 Janeiro. Em exibição até 31 de Janeiro.

Ciclo de Conferências

D. João da Câmara, 100 Anos Depois (1908-2008)

1.ª Conferência

D. João da Câmara, Jornalista
por António Valdemar (Diário de Notícias)
10 de  Janeiro, 18 horas

2.ª Conferência

D. João da Câmara, Poeta e Ficcionista
por Ernesto Rodrigues (UL/FL)
17 de Janeiro, 18 horas

3.ª Conferência

D. João da Câmara e o desenvolvimento dos caminhos-de-ferro oitocentistas
por Jorge Trigo (CML/HML)
24 de Janeiro, 18 horas

4.ª Conferência

D. João da Câmara, Dramaturgo
por Duarte Ivo Cruz (Investigador e Historiador do Teatro)
31 de Janeiro, 18 horas

Local: Hemeroteca Municipal – Sala do Espelho

 

Rua de São Pedro de Alcântara, 3 1250–237 Lisboa.

*

http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/index.htm

 

 

publicado por annualia às 11:29
link do post | comentar
Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2008

Datas perdidas

O infante D. Afonso, filho de D. Dinis e de D. Isabel de Aragão, assumiu o trono do reino de Portugal em 7 de Janeiro de 1325, com o nome de Afonso IV, depois cognominado O Bravo. Nascido em Coimbra, em 1291, casou com D. Beatriz de Castela. De temperamento arrebatado, mas sábio administrador, promulgou leis de largo alcance para a administração pública, ampliando o papel dos juízes de fora parte, meirinhos, alcaides e outros, oficiais da justiça régia, preocupando-se com o desenvolvimento da agricultura, reorganizando a Universidade, que transferiu para Lisboa, modernizando a gafaria de Coimbra e sendo um atento protector da marinha: a ele se deveu a primeira expedição marítima portuguesa, às Canárias.
Na Batalha do Salado (1340) lutou contra os Mouros ao lado do genro, Afonso XI de Castela.
Os seus últimos anos foram amargurados pelo desentendimento com o príncipe herdeiro, D. Pedro, agravado pelo assassínio político de Inês de Castro, tornando-se personagem relevante em todas as reconstituições, poéticas e dramáticas, desse episódio da história portuguesa. Morreu em Lisboa, em 1357.
publicado por annualia às 17:51
link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 6 de Janeiro de 2008

Dia de Reis

 

Adoração dos Reis Magos, fresco de Giotto na Basílica Inferior de Assis

publicado por annualia às 00:10
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio de Poesia Luís Mig...

Prémio Pessoa 2009/ D. Ma...

Prémio Goncourt de Poesia...

Prémio Cervantes 2009/ Jo...

O Homem da Capa Verde

Anselmo Duarte (1920-2009...

Francisco Ayala (1906-200...

Claude Lévi-Strauss (1908...

Prémio Goncourt/ Marie Nd...

Alda Merini (1931-2009)

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO