Sábado, 10 de Outubro de 2009

Prémio Nobel da Paz 2009

Nobel Prize® medal - registered trademark of the Nobel Foundation

O Comité norueguês do Nobel decidiu atribuir o Prémio Nobel da Paz de 2009 ao presidente Barack Obama, pelos seus extraordinários esforços para fortalecer a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos. O Comité deu especial importância à importância da visão e do trabalho de Obama por um mundo sem armas nucleares.

Como Presidente, Obama gerou um clima novo na política internacional. A diplomacia multilateral reconquistou um lugar central, com ênfase no papel que as Nações Unidas e outras instituições internacionais podem desempenhar. O diálogo e a negociação são instrumentos da resolução dos conflitos internacionais, mesmo os mais difíceis. A perspectiva de um mundo sem armas nucleares tem estimulado fortemente as negociações de desarmamento e de controlo de armas. Graças à iniciativa de Obama, os EUA estão agora a desempenhar um papel mais construtivo na questão das grandes alterações climáticas, com que o mundo se confronta. A democracia e os direitos humanos serão fortalecidos.

Só raramente alguém consegue chamar a atenção do mundo ao ponto que Obama o tem feito e dar ao seu povo esperança num futuro melhor. A sua diplomacia assenta no conceito de que aqueles que lideram o mundo devem fazê-lo com base em valores e atitudes partilhadas pela maioria da população mundial.

Ao longo de 108 anos, o Comité norueguês do Nobel tem justamente procurado estimular essa política internacional e essas atitudes, das quais Obama é, hoje, o porta-voz mundial. O Comité subscreve o apelo de Obama de que «é tempo de todos termos o nosso quinhão de responsabilidade na resposta global aos desafios globais».

publicado por annualia às 11:21
link do post | comentar
Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

Prémio Nobel da Literatura 2009 para Herta Müller

  Nobel Prize® medal - registered trademark of the Nobel Foundation

Escritora romena de língua alemã (n. Nitzkydorf, Banat, Roménia). Os seus pais integravam a minoria de língua alemã da Roménia. O pai serviu na Wafeen SS durante a II Guerra Mundial. Muitos romenos de língua alemã foram deportados para a União Soviética em 1945, incluindo a mãe de Herta Müller, que passou cinco anos num campo de de trabalho no que é hoje a Ucrânia. Muitos anos depois, em Atemschaukel (2009), a escritora descreveria o exílio dos romeno-germânicos na União Soviética. Entre 1973 e 1976, Herta Müller estudou literatura alemã e romena na Universidade de Timisoara. Durante este período, esteve ligada ao «Aktionsgruppe Banat», um grupo de jovens autores de língua alemã que, em oposição à ditadura de Ceausescu, lutava pela liberdade de expressão. Depois de completar os estudos, trabalhou como tradutora numa fábrica de máquinas, de 1979 a 1979. Foi dispensada depois de se ter recusado a ser informadora da polícia secreta. Após a sua dispensa, foi incomodada pela Securitate.

Herta Müller estreou-se com a colectânea de contos Niederungen (1982), censurada na Roménia. Dois anos depois, publicou a versão integral na Alemanha e, no mesmo ano, Drückender Tango, saiu na Roménia. Nestas duas obras, descreve a vida numa pequena aldeia de língua alemã, minada pela corrupção e a intolerância. A imprensa oficial romena foi muito crítica em relação a estas obras, enquanto, fora da Roménia, a imprensa alemã as recebia muito positivamente. Devido a ter criticado publicamente a ditadura romena, Herta Müller foi proibida de publicar no seu país. Em 1987, emigrou para a Alemanha, com o marido, o escritor Richard Wagner.

Os romances Der Fuchs war damals schon der Jäger (1992), Herztier (1994) e Heute wär ich mir lieber nicht begegnet (1997) dão, com minúcia de pormenores, um retrato da vida quotidiana numa ditadura estagnada.

A escritora tem proferido conferências em universidades e outras instituições, em Paderborn, Warwick, Hamburgo, Swansea, Gainsville (Florida), Kassel, Göttingen, Tübingen e Zürich entre outros lugares. Desde 1995 que é membro da Deutsche Akademie für Sprache und Dichtung, em Darmstadt.

Obras: Niederungen (contos, 1982), Drückender Tango (contos, 1984), Mensch ist ein großer Fasan auf der Welt (romance, 1986), Barfüßiger Februar (narrativa, 1987), Reisende auf einem Bein (1989), Der Teufel sitzt im Spiegel (1991), Der Fuchs war damals schon der Jäger (romance, 1992), Eine warme Kartoffel ist ein warmes Bett (1992), Der Wächter nimmt seinen Kamm : vom Weggehen und Ausscheren (1993), Herztier (romance, 1994), Hunger und Seide (ensaios, 1995), In der Falle (1996), Heute wär ich mir lieber nicht begegnet (romance, 1997), Der fremde Blick oder Das Leben ist ein Furz in der Laterne (1999), Im Haarknoten wohnt eine Dame (2000), Heimat ist das, was gesprochen wird (2001), Der König verneigt sich und tötet (2003), Die blassen Herren mit den Mokkatassen (2005), Atemschaukel (romance, 2009).

publicado por annualia às 12:37
link do post | comentar
Terça-feira, 6 de Outubro de 2009

Prémio Nobel da Física 2009

 Nobel Prize® medal - registered trademark of the Nobel Foundation

O Prémio Nobel da Física deste ano distinguiu dois feitos científicos que ajudaram a moldar as bases das nossas actuais sociedades em rede. Eles criaram muitas inovações concretas do dia-a-dia e deram-nos novos instrumentos de exploração científica. Em 1966, Charles K. Kao fez uma descoberta que conduziu ao avanço da fibra óptica. Ele calculou cuidadosamente como transmitir luz a grandes distâncias através de fibras de vidro ópticas. Com uma fibra do mais puro vidro é possível transmitir sinais luminosos a mais de 100 quilómetros, quando as fibras disponíveis nos anos 60 tinham um alcance de apenas 20 metros. O entusiasmo de Kao inspirou outros investigadores a partilharem a sua visão sobre o potencial futuro da fibra óptica. A primeira fibra ultrapura foi fabricada com êxito apenas quatro anos depois, em 1970.

Hoje, a fibra óptica forma o sistema circulatório que alimenta a nossa sociedade da comunicação. As fibras ópticas de grande rendimento facilitam a comunicação global em banda larga, como acontece com a Internet. A luz flui em finíssimos cabos de vidro, transportando a maioria do tráfego telefónico e de dados em todas as direcções. Texto, música, imagens e vídeo podem ser transferidos, em volta do globo, numa fracção de segundo.

Se desenrolássemos toda a fibra de vidro que existe no mundo, obteríamos um único cabo com mais de um bilião de quilómetros – o suficiente para dar a volta à terra mais de 25 000 vezes –, que aumenta milhares de quilómetros a cada hora que passa.

Uma boa parte deste tráfego é constituído por imagens digitais, que formam a segunda parte do prémio. Em 1969, Willard S. Boyle e George F. Smith inventaram a primeira tecnologia de imagem bem sucedida, usando um sensor digital: um CCD (Charge-Coupled Device). A tecnologia CCD utiliza o efeito fotoeléctrico, tal como teorizado por Albert Einstein, que a ele ficou a dever a atribuição do Prémio Nobel, em 1921. Por este efeito, a luz é transformada em sinais eléctricos. Ao conceber um sensor de imagem, o desafio consiste em reunir e transformar, em muito pouco tempo, os sinais num grande número de pontos, os pixéis.

O CCD é o olho electrónico da câmara digital. Ele revolucionou a fotografia, na medida em que a luz pode agora ser captada electronicamente, em lugar de o ser em filme. A forma digital facilita o processamento e a distribuição destas imagens. A tecnologia CCD é também usada em muita aplicações para medicina, por exemplo para ver o interior do corpo humano, quer com fins de diagnóstico, quer para microcirurgia.

A fotografia digital tornou-se um instrumento insubstituível em muitas áreas de investigação. O CCD criou novas possibilidades de visualizar o que antes não era visível. Deu-nos imagens cristalinas de lugares distantes do nosso universo, bem como da profundeza dos oceanos.

publicado por annualia às 16:24
link do post | comentar

Prémio Nobel de Medicina 2009

Nobel Prize® medal - registered trademark of the Nobel Foundation
Este ano o Prémio Nobel de Fisiologia e Medicina foi atribuído a três cientistas que solucionaram uma questão importante no domínio da Biologia: o de saber como os cromossomas podem ser copiados integralmente durante a divisão das células e como estão protegidos contra a degradação. Os laureados com o Nobel mostraram que a solução pode ser encontrada nas extremidades dos cromossomas -- os telomeres -- e na enzima que as fabrica -- a telomerase.
A longa cadeia moléculas de ADN que transportam os nossos genes está contida nos cromossomas, de cujas extremidades os telomeres constituem o topo. Elizabeth Blackburn e Jack Szostak descobriram que uma única sequência de ADN nos telomeres impede os cromossomas de se degradarem.
Carol Greider e Elizabeth Blackburn identificaram a telomerase, a enzima que produz o ADN dos telomeres. Estas descobertas explicam como as extremidades dos cromossomas são protegidas pelos telomeres e que estes são fabricados pela telomerase.
Se os telomeres são encurtados, as células envelhecem. Ao invés, se a actividade da telomerase é intensa, o comprimento dos telomeres é mantido e a senescência celular atrasada. É este o caso das células cancerosas, que podem ser consideradas como tendo uma vida eterna. Certas doenças herdadas, pelo contrário, são caracterizadas por uma telomerase ineficaz, disso resultando células danificadas. A atribuição do Prémio Nobel reconhece assim a descoberta de uma mecanismo fundamental da célula, uma descoberta que tem encorajado o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas.


Ver imagem em alta resolução aqui.


 

publicado por annualia às 11:53
link do post | comentar
Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

Aage Bohr (1922-2009)

 Aage Bohr, Nobel Prize-winning physicist

Físico dinamarquês (Copenhaga, 19.6.1922 – ibid., 8.9.2009). Dedicado ao ensino desde 1956 e directo colaborador de seu pai, Niels Bohr (Prémio Nobel da Física em 1922), sucedeu-lhe, em 1963, na direcção do Instituto de Física Teórica, por ele fundado e que ostenta o nome do fundador. Juntamente com Benjamim Mottelson e James Rainwater recebeu o prémio Nobel da Física, em 1975, por terem elaborado um modelo unificado da estrutura do núcleo atómico.

publicado por annualia às 10:12
link do post | comentar
Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Colectâneas de contos no catálogo da Ulisseia


 

publicado por annualia às 10:32
link do post | comentar
Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2008

Harold Pinter (1930-2008)

harold pinter

Dramaturgo inglês (Hackney, Londres, 10.10.1930 – Londres, 24.12.2008) de ascendência judia que, nas vésperas da II Guerra Mundial foi evacuado de Londres, de onde esteve ausente três anos embora a vivência dos bombardeamentos não mais o tenha abandonado. Por outro lado, a experiência teatral realizada na escola tê-lo-á orientado para uma carreira de actor. Em 1948, ingressou na Royal Academy of Dramatic Art. Dois anos depois publicava os seus primeiros poemas. Depois de ter passado pela Central School of Speech and Drama, integrou uma companhia irlandesa entre 1954 e 1957. Estreou-se como dramaturgo com a peça The Room (1957), logo seguida de The Birthday Party e The Dumbwaiter, embora a plena confirmação dos eu talento só tenha chegado com The Caretaker (1959), tornando-se numa das figuras mais representativas da dramaturgia britânica da segunda metade do século xx. O seu lugar como clássico moderno está bem expresso na cunhagem da palavra «pinteresco» para descrever certos ambientes dramáticos.
Pinter devolveu ao teatro os seus elementos básicos: um espaço fechado e um dialogo imprevisível, onde as personagens estão à mercê umas das outras e parecem desagregar-se. Com uma intriga mínima, o drama emerge pela luta pelo poder e do toca-e-foge da interlocução. O teatro de Pinter foi inicialmente visto como uma variante do teatro do absurdo, mas foi posteriormente melhor caracterizado como «comédia de ameaça», um género em que o escritor nos permite espiar o jogo do domínio e da submissão escondido na mais mundana das conversas. Numa peça típica de Pinter deparamos com gente que se defende da implosão ou dos seus próprios impulsos, entrincheirando-se numa existência diminuída e controlada. Um outro tema principal é a volatilidade e o carácter ilusório do passado. Tem sido observado que, a seguir a um período inicial de realismo psicológico, evoluiu para uma segunda fase, de maior lirismo, em peças como Landscape (1967) e Silence (1958), entrando, por fim, numa terceira fase, politica, com One For The Road (1984), Mountain Language (1988) e The New World Order (1991), entre outras peças. Porém, esta divisão em períodos parece ser demasiado simplista e ignorar alguns dos seus escritos mais fortes, como No Man’s Land (1974) e Ashes to Ashes (1996). Na verdade, a continuidade do seu trabalho é notável e os temas políticos podem ser vistos como a evolução da análise inicial da ameaça e da injustiça.
A partir de 1973, Pinter, em paralelo com o reconhecimento de que foi objecto a sua escrita, foi também reconhecido como um lutador pelos direitos humanos. Tomou frequentemente posições controversas. Escreveu ambém peças radiofónicas e guiões para cinema e televisão. Entre os seus guiões mais conhecidos estão os de The Servant (1963) e The Go-Between (1971), ambos de Joseph Losey e The French Lieutenent’s Woman (1981, de Karel Reisz).
Em 2005 foi distinguido com o Prémio Nobel da Literatura.
 
publicado por annualia às 22:50
link do post | comentar
Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Daniel Carleton Gajdusek (1923-2008)

Daniel Carleton Gajdusek

Neurologista e investigador americano (Yonkers, 9.9.1923 – Tromso, Noruega, 11.12.2008) que estudou em Rochester e Harvard, especializando-se nas áreas da Pediatria e das doenças infecto-contagiosas, em cuja investigação se notabilizou, tendo recebido (ex-aequo) o Prémio Nobel da Medicina em 1976. Gajdusek identificou as causas de uma doença neurológica (específica de uma tribo canibal da Nova Guiné) como um agente infeccioso que se manifestava após um longo período de incubação, na sequência da ingestão de porções de cérebro das vítimas.

publicado por annualia às 09:44
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio Nobel da Paz 2009

Prémio Nobel da Literatur...

Prémio Nobel da Física 20...

Prémio Nobel de Medicina ...

Aage Bohr (1922-2009)

Colectâneas de contos no ...

Harold Pinter (1930-2008)

Daniel Carleton Gajdusek ...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO