Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

Sugestões diferentes para a mesa de Páscoa

Cebolas Recheadas com Cogumelos
 
4 cebolas grandes
(variedade portuguesa amarela)
4 colheres de sopa de azeite
200 g de cogumelos champignons
1 dente de alho
125 g de presunto magro
1/2 chávena de arroz cozido
1 ovo
1 colher de sopa de salsa picada
1 colher de chá de orégãos
sal, pimenta e pimenta-da-jamaica
2 colheres de sopa de pão ralado
2 dl de caldo de legumes e vinho
branco misturados
 
Pele as cebolas conservando as raízes. Introduza-as em água a ferver
temperada com sal e deixe cozer 10 minutos. Escorra e passe rapidamente
por água fria. Retire uma tampa e as raízes de cada cebola e,
cuidadosamente, escave o miolo, sem as desmanchar. Pique toda a
polpa retirada e leve a estufar com 1 colher de azeite. Pique os cogumelos
e estufe-os com 1 colher de azeite e o alho picado até a água dos
cogumelos desaparecer. Pique o presunto e junte-o aos cogumelos, à
cebola e ao arroz. Ligue tudo com o ovo, junte a salsa e os orégãos.
Tempere com sal, pimenta preta do moinho e pimenta-da-jamaica.
Encha as cavidades das cebolas com o preparado. Polvilhe com o pão
ralado, regue com o azeite restante e disponha num tabuleiro onde já
se encontra um pouco da mistura de caldo e vinho bem quente.
Leve a forno bem quente (200°C) e deixe cozer cerca de 30 minutos,
regando as cebolas nos primeiros minutos com o líquido de cozedura e
acrescentando-o sempre que necessário.
Deixe alourar bem e sirva quente.
 
 
Tarte de Cebola com Queijo Fresco
 
250 g de massa quebrada
ou de pão (ver página 230)
750 g de cebolas (5 médias aprox.)
3 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de açúcar
100 g de toucinho fumado magro
(bacon)
200 g de queijo fresco
2 dl de natas
1 ovo + 1 gema
1 colher de sopa de mostarda (Dijon)
sal e pimenta
 
Esta deliciosa tarte, que deve ser comida bem quente, dá o seu melhor
quando preparada com queijo fresco de caixa com 20% de gordura.
Se a fizer com queijo fresco enformado, escorra-o muito bem e em vez
de 200 g deve ter inicialmente 250 g.
Estenda a massa e forre com ela uma forma com cerca de 24 cm de
diâmetro. Conserve no frigorífico enquanto prepara o recheio. Pele e
corte as cebolas em rodelas muito finas. Leve a cozer suavemente com
o azeite. Tape no início e, quando vir líquido, destape e deixe cozer e
alourar pouco. Polvilhe com o açúcar e deixe caramelizar muito
ligeiramente.
Corte o toucinho em bocadinhos e derreta-o sobre lume brando
numa frigideira antiaderente. Escorra sobre papel absorvente.
Deite numa tigela o queijo, as natas, o ovo, a mostarda, as cebolas
e o toucinho.
Misture bem e tempere com sal e pimenta. Encha a caixa de massa
com o preparado, pincele a massa com a gema diluída num pingo de
água e leve imediatamente ao forno quente (200ºC) até a superfície
estar bem dourada.


Bolo de Cenouras e Nozes
 
2 cenouras raladas (125 g aprox.)
150 g de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de canela
75 g de sultanas
50 g de nozes
raspa da casca de 1 laranja
125 g de açúcar escuro
2 dl de óleo de girassol
4 ovos
manteiga para untar a forma
 
Tem uma composição muito rústica, mas é delicioso este inesperado
bolo de cenouras. Querendo torná-lo ainda mais intrigante, substitua as
cenouras por curgetes e, mais elegante, enfeite-o com rodelas de laranja
e juliana de casca de laranja cozida em xarope de açúcar.
Aqueça o forno a 180ºC. Unte uma forma rectangular com 11 x 25 x
x 7 cm (tipo bolo inglês) e forre o fundo com papel vegetal. Peneire a
farinha, o fermento, a canela e o açúcar para uma tigela.
Junte a cenoura ralada, as nozes grosseiramente picadas, a raspa da
casca de laranja e as sultanas.
À parte, misture o óleo com os ovos. Junte esta mistura ao preparado
anterior e deite na forma. Leve a cozer no forno durante cerca de
45 minutos ou até estar firme.
Deixe repousar 5 minutos na forma e desenforme sobre uma rede.
Nota: a forma utilizada para a fotografia tem o fundo abaulado e é
mais comprida e mais baixa do que a acima indicada.

 

Retirado daqui:

 

publicado por annualia às 23:44
link do post | comentar
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Prémios de Edição LER Booktailors: mais uma lista

Longlist da Melhor Capa de Gastronomia

 

1. A Cozinha Italiana de Augusto Gemelli, Augusto Gemelli, A Esfera dos Livros.
2.Portal Portugal 2008. Guia de Vinhos Portugueses & Estrangeiros, Tiago Teles, Pedro Gomes
3. Vinhos de Portugal 2008, João Paulo Martins, Livros d'Hoje
4. A Ferver, Aventuras e desventuras de um cozinheiro amador, Bill Buford, Sextante
5.A Bíblia Contada pelos Sabores, Albano Lourenço, Assírio & Alvim
6.Sabores do Índico - receitas da cozinha moçambicana, Maria Fernanda Sampaio, Assírio & Alvim
7.Com os Copos, Miguel Esteves Cardoso, Assírio & Alvim
8. Cozinha Para Homens - a honesta volúpia, Alfredo Saramago, Assírio & Alvim
9. Puro Chèvre - Receitas c/ queijo de cabra..., Adolfo Henriques, Assírio & Alvim
10.Sabores Judaicos — Trás-os-Montes, Graça Sá-Fernandes/Naomi Calvão, Assírio & Alvim

 

Ver mais aqui.

publicado por annualia às 09:38
link do post | comentar
Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

Alfredo Saramago (1938-2008)

Gastrónomo e publicista português (Arronches, 1938 - Lisboa, 25.5.2008). Figura controversa nos meios da especialidade, publicou diversos livros sobre gastronomia das várias regiões do país (Cozinha da Beira Interior, Cozinha da Beira Litoral, Cozinha Algarvia, Cozinha Alentejana, Cozinha do Minho, Cozinha Transmontana). Era director da revista Épicur.

Algumas outras obras (editadas pela Assírio e Alvim): Doçaria dos Conventos de Portugal (1997), Para uma História da Alimentação no Alentejo (1997), Para uma História da Alimentação de Lisboa e seu Termo (2004), Cozinha Para Homens - a honesta volúpia (2007)


publicado por annualia às 12:43
link do post | comentar
Quinta-feira, 13 de Março de 2008

Prémio de Literatura Gastronómica

Maria de Lourdes Modesto e Manuela Barbosa, as autoras do livro Queijos Portugueses, editado pela Editorial Verbo, foram galardoadas com o Prémio de Literatura Gastronómica referente ao ano de 2007, atribuído pela Academia Portuguesa de Gastronomia.

Numa altura em que a globalização permite o acesso a produtos de todas as formas e de todos os lugares, banalizando a sua origem e a sua importância no património cultural dos países e regiões, um livro como Queijos Portugueses e um Olhar Gastronómico sobre Famosos Queijos Europeus surge como uma peça fundamental na viagem até à origem dos nossos queijos e sua aplicação na nossa culinária.

Foi classificado pela Academia Portuguesa de Gastronomia como um livro elaborado de forma cuidada e criteriosa nas suas três vertentes mais importantes:  gastronómica, cientifica e visual.

publicado por annualia às 11:37
link do post | comentar
Terça-feira, 22 de Janeiro de 2008

Prémio Gourmand

O livro Ervas e Mezinhas - na cozinha e na saúde, de M. Margarida Pereira-Müller, publicado pelas Edições Colares, foi distinguido com o Prémio Gourmand. 

Mais informações e pormenores aqui. 

publicado por annualia às 17:04
link do post | comentar
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

Uma ideia para o fim do ano

 

Formigos ou Mexidos

3 a 4 fatias de pão de forma;
1,5 dl de leite;
125 g de açúcar;
75 g de amêndoas peladas;
50 g de corintos sem grainhas;
4 gemas;
1 cálice de vinho do Porto;
canela.

Parta o pão em bocados e regue com o leite morno. Leve o açúcar ao lume
com 1 dl de água e deixe ferver só o tempo necessário para obter um
ponto fraco. Escorra o leite que não foi absorvido e desfaça o pão com
a varinha. Junte ao açúcar, espalhe-o na calda (em movimentos suaves
para não se queimar) e deixe ferver 5 minutos. Adicione metade das
amêndoas grosseiramente raladas e os corintos, e deixe apenas levantar
fervura. Desfaça as gemas no vinho do Porto e junte ao preparado
anterior. Leve ao lume e, sem ferver, deixe espessar um pouco. Retire
os formigos do calor, deite-os no prato de serviço, polvilhe com canela
e espalhe por cima as restantes amêndoas em falhas e ligeiramente
torradas.
Nota: se o doce ficar muito espesso, junte-lhe um pouco de água a
ferver.

Como esta conversa e estas receitas só vêm a propósito nos fins do ano,
aproveito para desejar a todos um próximo ano muito rico em bons aromas
e bons sabores e outras coisas boas que eu sei que merecem.

 

 

Texto: Maria de Lourdes Modesto em Palavra puxa Receita (crónicas publicadas no Diário de Notícias), Editorial Verbo.
Desenhos: Marta Leite
publicado por annualia às 20:26
link do post | comentar
Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

Abrindo o livro Queijos Portugueses

Queijos Portugueses

e um olhar gastronómico sobre famosos queijos europeus

de Maria de Lourdes Modesto e Manuela Barbosa

*

Fotografias de António Duarte Mil-Homens

Paginação e concepção gráfica de Magda Macieira Coelho

© Editorial Verbo


Peitinhos de Frango com Boursin

Para este prato dê preferência a peitinhos de frangos do campo, se
possível, biológicos.

Para 4 pessoas:
4 peitinhos de frango com cerca de 125 g cada;
sal e pimenta preta;
2 limões;
1 Boursin com ervas;
8 tiras de bacon;
2 colheres de sopa de manteiga;
2 colheres de sopa de natas.

De véspera tempere os peitinhos com sal, pimenta e o sumo e a raspa dos
limões. Conserve no frigorífico.
No dia seguinte, escorra os peitinhos da marinada, coloque-os sobre a
tábua e, sem separar, abra cada peitinho ao meio na horizontal (fazendo
uma bolsa). Tempere com sal e pimenta. Trabalhe o Boursin em creme e
divida-o em 5 partes. Molde 4 partes em rolo e introduza um rolo em
cada peitinho. Envolva cada peitinho com duas tiras de bacon e
ponha-os num tabuleiro de forno onde caibam à justa, ajeitando-os para
não deixar sair o recheio. 25 minutos antes de servir, disponha uma
nozinha de manteiga sobre cada peitinho e leve a cozer em forno médio
(180ºC).
Num tachinho, junte a marinada com o líquido e o queijo que os
peitinhos tenham largado, junte a 5.ª parte de queijo e as natas e leve
ao lume, a ferver, batendo com uma vara de arames. Mantenha este molho
quente.
Disponha os peitinhos sobre uma camada de tagliateli cozida e acompanhe
com tomates cereja salteados, folhas de alfaces variadas e triângulos
de massa filo com sementes de sésamo ou de papoila. Sirva o molho à
parte.

Variantes: substitua os limões por limas, reduzindo um pouco a
quantidade de sumo.
Substitua o Boursin por um queijo de Cabra cremoso, junte bastante
cebolinho e um pouco de rábano picante em pasta (horseradish), sal e
pimenta preta.

 



 

 

publicado por annualia às 17:18
link do post | comentar

Gastronomia e Cultura

«Um país também se define pela sua gastronomia. Nela se reflectem os vários aspectos da sua tradição agrícola e nela se exprimem os matizes do gosto colectivo que definem modos de viver e de conviver. Nela se imprimem singularidades geográficas, tonalidades climáticas. Nela se incorpora a História. Nela vive o espírito do lugar.»

 

do texto sobre Maria de Lourdes Modesto em ANNUALIA 2006-2007

 

 

publicado por annualia às 17:11
link do post | comentar
Segunda-feira, 12 de Novembro de 2007

Pastéis de Belém: 170 anos (1837-2007)

 

 

Por favor clique na imagem para aumentar

 

O património de um país, de uma cidade ou de uma famíllia, é o resultado de uma energia criativa ditada por circunstâncias de vária ordem, mas também de um impulso de persistência. A duração não tem que ver apenas com a natureza dos materiais.

Texto no volume Annualia 2007-2008 

www.pasteisdebelem.pt

publicado por annualia às 22:10
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Sugestões diferentes para...

Prémios de Edição LER Boo...

Alfredo Saramago (1938-20...

Prémio de Literatura Gast...

Prémio Gourmand

Uma ideia para o fim do a...

Abrindo o livro Queijos P...

Gastronomia e Cultura

Pastéis de Belém: 170 ano...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO