Terça-feira, 10 de Novembro de 2009

Anselmo Duarte (1920-2009)

Realizador e actor brasileiro (Salto do Itú, São Paulo, 21.4.1920 – São Paulo, 7.11.2009) que se tornou um dos actores mais populares do Brasil, em filmes como Querida Susana (1947, de Alberto Pieralisi), Tico-Tico no Fubá (1952, de Adolfo Celi), Sinhá Moça (1954, de Tom Payne e Oswaldo Sampaio) e A Arara Vermelha (1957, de Tom Payne). Em 1957, dirigiu o seu primeiro filme, Absolutamente certo, uma comédia musical, rodando em Espanha Um Raio de Luz e, entre nós, a terceira versão de As Pupilas do Senhor Reitor, no qual interpretou a personagem de Daniel (1959-1960). O segundo filme, O Pagador de Promessas (1962), segundo a peça de Dias Gomes, foi também um triunfo para o cinema brasileiro, ganhando a Palma de Ouro, em Cannes. O seu filme Vereda de Salvação (1965) foi apresentado no Festival de Berlim e nomeado para o Urso de Ouro.

Outros filmes: O Reimplante (1969), Quélé do Pajéu (1970), Um Certo Capitão Rodrigo (1971), O Descarte (1973), Já não se faz Amor como Antigamente (1974), Marido Que Volta Deve Avisar (1975), O Crime do Zé Bigorna (1976), Os Trombadinhas (1979).

publicado por annualia às 01:17
link do post | comentar
Segunda-feira, 19 de Outubro de 2009

Rosanna Schiaffino (1938-2009)

Actriz italiana (Génova, 25.11.1938 – 17.10.2009) cuja carreira praticamente começou no filme Totò, lascia o raddoppia? (1956, de Camillo Mastrocinque) e que Franscesco Rosi escolheu como protagonista de La Sfida (1958). Em 1959, integrou o elenco de Il vendicatore, de William Dieterle, e aparece em primeiríssimo plano em La notte brava, de Mauro Bolognini, com argumento e guião de Pasolini. Ainda no mesmo ano, participou em Ferdinando I, re di Napoli, de G. Franciolini. Na década de 1960, fez Le bal des espions (1960, de M. Clément e U. Scarpelli), Teseo contro il Minotauro (1960, de S. Amadio), Les miracle des loups (1961, de André Hunebelle), ao lado de Jean Marais, I briganti italiani (1962, de Mario Camerini), ao lado de Vittorio Gassman e Ernest Borgnine, Two Weeks in Another Town (1962, de Vincente Minnelli), Axel Munthe - Der Arzt von San Michele (1962, de G. Capitani e R. Jugert), La corruzione (1963, de M. Bolognini), The Victors (1963, de Carl Foreman), La mandragola (1965, de Alberto Lattuada), La strega in amore (1966, de Damiano Damiani), L’avventuriero (1967,de Terence Young), Scacco alla regina (1969, de Pasquale Festa Campanille). Já nos anos 70, evidenciou-se sobretudo em 7 fois… par jour (1970, de Denis Héroux), Trastevere (1971, de Fausto Tozzi), Ettore lo fusto (1972, de Enzo Castellari), Un hombre llamado Noon (1973, de Peter Collinson), Gli Eroi (1973, de D. Tessari), ao lado de Rod Steiger e Claude Brasseur, Il testimone deve tacere (1974, de G. Rosati), La trastienda (1975, de Jorge Grau).

publicado por annualia às 11:29
link do post | comentar
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009

Robert Ginty (1948-2009)

Robert_Ginty_04.jpg

Actor, realizador, argumentista, produtor e encenador americano, de ascendência irlandesa (Nova Iorque, 14.11.1948 – Los Angeles, 22.9.2009) que começou por estar ligado, na juventude, a diversos grupos de rock. Depois de frequentar escolas de representação, ingressou no teatro e foi assistente de Harold Prince na Broadway, tentando depois Hollywood, onde começou a desempenhar papéis em séries de televisão e, mais tarde, a conseguir pequenos papéis no cinema. Dos tempos iniciais da sua notoriedade data Coming Home (1978, de Hal Hashby). Dois anos depois era o herói de The Exterminator (1980, de James Glickenhouse). Curiosamente, Ginty é mais conhecido, na Europa, como encenador de teatro experimental, que continuou a fazer. Em 2004, dirigiu uma versão musical (rap/hip-hop) de A Laranja Mecânica, de Anthony Burgess. No cinema, dirigiu Bounty Hunter (1989), Vietnam, Texas (1990), Shootfighter (1992) e Woman of Desire (1993), além de numerosos filmes e episódios de séries de televisão.

publicado por annualia às 10:58
link do post | comentar
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Trevor Rhone (1940-2009)

 

Dramaturgo jamaicano (1940 – Kingston, 15.9.2009), co-autor, com o realizador Perry Henzell, do argumento e guião do filme de ambiente reggae, The Harder They Come (1972). Em 1975, dirigiu Smile Orange, resultante de uma peça de teatro de sua autoria. Outras peças importantes de Trevor Rhone foram levadas à cena com êxito: The Web (1972), School's Out (1975), Old Story Time (1979), Two Can Play (1983), The Game (1985), One Stop Driver (1989), Bella’s Gate Boy (2002). Trevor Rhone recebeu a Musgrave Gold Medal Award, em 1988, o Living Legend Award atribuído pelo National Black Theatre dos EUA (1996) e o Norman Washington Manley Award, atribuído de quatro em quatro anos a uma personalidade que se distinga no âmbito da teatro (1996). Entre outros prémios no âmbito cinematográfico, recebeu o prémio do Festival de Cinema de Cork (Irlanda).

publicado por annualia às 15:59
link do post | comentar
Terça-feira, 15 de Setembro de 2009

Patrick Swayze (1952-2009)

Patrick Swayze

Actor americano (Houston, 18.8.1952 - Los Angeles, 14.9.2009) cuja carreira, embora iniciada em 1979, conheceu um forte impulso com a série televisiva North and South (1985-1986), a que se seguiu de imediato Dirty Dancing (1987, de E. Ardolino) pelo qual foi nomeado para os Globos de Ouros, facto que aconteceu depois também com Ghost (1990, de Jerry Zucker) e To Wong Foo Thanks for Everything, Julie Newmar (1995, de Beeban Kidron). Outros filmes: Road House (1989, de Rowdy Herrington), Next of Kin (1989, de John Irvin), Point Break (1991, de Kathryn Bigelow), City of Joy (1992, de Roland Joffé), Black Dog (1998, de Kevin Hooks), Donnie Darko (2001, de Richard Kelly), Waking Up in Reno (2002, de Jordan Brady), Keeping Mum (2005, de Niall Johnson), Jump (2007, de Joshua Sinclair), Christmas in Wonderland (2007, de James Orr).

publicado por annualia às 10:19
link do post | comentar
Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

Veneza

 

 

publicado por annualia às 16:21
link do post | comentar
Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

Christian Poveda (1955-2009)

 Christian Poveda. | Afp

Fotógrafo e cineasta francês de ascendência espanhola (França, 1955- El Salvador, 2009), cuja carreira como fotojornalista se iniciou com uma reportagem sobre a Frente Polisário, tendo sido correspondente de vários jornais e outros meios de comunicação durante a guerra civil salvadorenha, entre 1980 e 1992. Poveda realizara um documentário (estreado em 2008 no festival de San Sebastián), intitulado La Vida Loca, sobre a vida das «maras», bandos de jovens criminosos e traficantes. O filme de Poveda centrara-se em particular numa delas, «La Dieciocho», que se pensa estar directamente envolvido no seu assassínio. As maras nasceram nos bairros hispânicos de Los Angeles e estenderam-se depois a várias regiões da América Central, sendo alguns dos seus membros antigos prisioneiros nos EUA. Poveda dirigiu em 1999 (com Nick Fraser) o documentário Journey to the Far Right e, em 2005, com Jean-Marc Barbieux, o filme para televisão Strip de Velours. Em 2004 fotografara Mathilde au matin, de Maria de Medeiros.

publicado por annualia às 12:01
link do post | comentar
Domingo, 9 de Agosto de 2009

Raul Solnado (1929-2009)

 

Comediante português e figura de referência do humor português (Lisboa, 19.10.1929 – ibid., 8.8.2009). Iniciou-se, como amador, em 1947, no Grupo Dramático da Sociedade de Instrução Guilherme Cossul. Profissional desde 1952, notabilizou-se como artista de variedades (após O Sol da Meia-Noite, no Maxime) e teatral (opereta — Maria da Fonte no Monumental, em 1953; comédia — A Irmã S. Sulpício no Apolo, em 1954; e revista — com destaque para Bate o Pé no Maria Vitória, com A Guerra de 1908, em 1961). O sucesso como humorista consolidou-se nos espectáculos a solo, na rádio e nas gravações em disco (A Guerra, História da Minha Vida, Poema do Egocentrista, Poema do Que Ela Me Disse, Médico, Frica e os Leopoldos, É do Inimigo?, Concerto de Violino, Bombeiral da Moda, A Maternidade). A partir de 1963, foi figura indispensável no teatro para televisão, em Portugal e no Brasil. Em 1964-1970, construiu e foi empresário do Teatro Villaret, onde levou à cena grandes êxitos, como a sua interpetação do Tartufo de Molière. A sua popularidade culminou com a apresentação de programas de televisão, que constituem marcos históricos nos respectivos géneros: Zip-Zip (talk show, 1969) e A Visita da Cornélia (concurso, 1977). Em 1991, foi publicada a sua biografia com o título A Vida Não Se Perdeu. Em 2002, quando completou 50 Anos de Carreira, foi homenageado com a Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa. A 10 de Junho de 2004, recebeu a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. Raul Solnado era director da Casa do Artista, em Lisboa, instituição que ajudou a fundar, em 1999.

No cinema, integrou o elenco de, por exemplo, A Garça e a Serpente (1952, de Arthur Duarte), Ar, Água e Luz (1956, de Fernando Garcia), O Noivo das Caldas (1956, de Arthur Duarte), Perdeu-se Um Marido (1956, de Henrique Campos), Sangue Toureiro e O Tarzan do 5.o Esquerdo (1958, de Augusto Fraga), As Pupilas do Senhor Reitor (1960, de Perdigão Queiroga), Dom Roberto (1962, de Ernesto de Sousa), O Milionário (1962, de Perdigão Queiroga), A Família Barata (1961, série televisiva), A Fronteira (1969, televisão),  Balada da Praia dos Cães (1986, de José Fonseca e Costa), A Mala de Cartão/La Valise en Carton (1986, de Michel Win), Resposta a Matilde (1986, televisão), O Bobo (1987, de José Álvaro Morais), Bâton (1988, televisão), Conto de Natal (1988, televisão), Lá em Casa Tudo Bem (1988, de Nuno Teixeira, série televisiva), Topaze (1988, série televisiva); Aqui d’El-Rei! (1991, de António Pedro Vasconcelos), Meu Querido Avô (1997, de Fernando Ávila, série televisiva), Requiem (1998, de Alain Tanner), Senhor Jerónimo (1988, de Inês de Medeiros), Facas e Anjos (2000, de Eduardo Guedes, televisão), Ilha dos Amores (2007, série televisiva), Call Girl (2007, de António-Pedro Vasconcelos), América (2009, de João Nuno Pinto).


* Ler crónica de Pedro Mexia no Público aqui.

 

 

 Informação recolhida na Enciclopédia Verbo-Edição Século XXI.

publicado por annualia às 01:11
link do post | comentar

John Hughes (1950-2009)


Argumentista, produtor e realizador norte-americano (Lansing, Michigan, 18.2.1950 - Nova Iorque, 6.8.2009) mais conhecido pela história de Home Alone (Sozinho em Casa: 1990, 1992, 1997, 2002), mas reconhecido também pelo argumento de comédias como Class Reunion (1982, de Michael Miller), European Vacation (1985, de Amy Heckerling), Pretty in Pink, Some Kind of Wonderful e The Great Outdoors (1986, 1987 e 1988, de Howard Deutch), Career Opportunities (1991, de Bryan Gordon), Beethoven 1, 2, 3, 4 e 5 (1992, 1993, 2000, 2001 e 2003, de Brian Levant, Rod Daniel, David M. Evans e Mark Griffiths respectivamente), Miracle on 34th Street (1994, de Les Mayfield), Just Visiting (2001, de Jean-Marie Poiré), Maid in Manhattan (2002, de Wayne Wang). John Hughes escreveu, produziu e realizou Sixteen Candles (1984), The Breakfast Club (1985), Weird Science (1985),  Ferris Bueller's Day Off (1986), Planes, Trains & Automobiles (1987), She's Having a Baby (1988), Uncle Buck (1989) e Curly Sue (1991).

 

publicado por annualia às 00:12
link do post | comentar
Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

Budd Schulberg (1914-2009)

 
Argumentista norte-americano (Nova Iorque, 27.3.1914 – Long Island, 5.8.2009), conhecido sobretudo pelo argumento de On the Waterfront (1954, de Elia Kazan), com o qual foi distinguido com um Óscar. O seu nome está associado, entre outros, aos seguintes filmes: Winter Carnival (1939, Charles Reisner), Weekend for Three (1941, de Irving Reis), Five Were Chosen (1942, de Herbert Kline), City Without Men (Sidney Salkow), The Nazi Plan (1945, de George Stevens), Nuremberg (1946, de Pare Lorentz), The Harder They Fall (1956, de Mark Robson), A Face in the Crowd (197, de Elia Kazan), Wind Across the Everglades (1958, Nicholas Ray).

 


 

publicado por annualia às 12:09
link do post | comentar
Sexta-feira, 24 de Julho de 2009

André Falcon (1924-2009)

 

Actor francês (Lyon, 28.11.1924 – Paris, 21.7.2009) que era actualmente o mais antigo membro honorário da Comédie-Française. Formado no Conservatório de Paris, em 1946, a sua voz, bem como a sua presença, tornaram-no conhecido do público da Comédie-Française, onde interpretou durante 20 anos (até 1966) as principais personagens do teatro de Sófocles, Racine, Corneille, Shakespeare, Molière, Victor Hugo, Schiller, mas também Monthérlant ou Claudel. Fora da Comédie (nunca abandonou os palcos), representou Shaw e Mishima, Pirandello e Durrell, Dürrenmatt e Edward Albee, entre muitos outros autores. Estreou-se no cinema nos anos 50, tendo participado em filmes de René Clément (Paris brûle-t-il?, 1966), François Truffaut (Baisers volés, 1968), Philippe Labro (Tout peut arriver, 1969; Sans mobile apparent, 1971), Jacques Deray (Un peu de soleil dans l’eau froide, 1971; Borsalino & Co., 1974; Le Gang, 1977; Trois Hommes à abattre, 1980), Claude Lelouch (L’aventure c’est l’aventure, 1972; La Bonne Année, 1973), Jacques Demy (L’Évenement plus important depuis que l’homme a marché sur la lune, 1973), Henri Verneuil (La Serpent, 1973; I comme Icare, 1979; Mille milliards de dollars, 1982), Gérard Oury (Les Aventures de Rabbi Jacob, 1973), Claude Chabrol (Nada, 1974), Claude Sautet (Mado, 1976), Édouard Molinaro (L’Homme pressé, 1977; La Veuve rouge, 1982), Carlos Saura (Les Yeux bandés, 1978; Deprisa, deprisa, 1980) e Bertrand Tavernier (Capitaine Conan, 1996). Na televisão, participou em numerosos filmes e séries como Enquêtes du Commissaire Maigret ou Messieurs les jurés.

publicado por annualia às 10:46
link do post | comentar
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Zbigniew Zapasiewicz (1934-2009)


Actor polaco, considerado um dos mais importantes do seu país (Varsóvia, 13.9.1934 - ibid., 15.7.2009), cuja carreira se iniciou no teatro Młodej Warszawy (Jovem Varsóvia), em 1956. Distinguiu-se na interpretação do teatro clássico e moderno. Esteve à frente do Teatro Dramático entre 1987 e 1990. O seu último grande papel foi na peça Słonecznych chłopcach, no teatro Powszechny. No cinema, a sua carreira iniciou-se em 1964 e conta com sete dezenas de filmes, entre os quais se podem referir Ziemia obiecana (Terra Prometida, 1975, de Andrzej Wajda), Dzieje grzechu (A História do Pecado, 1975, de Walerian Borowczyk), Barwy ochronne (Camuflagem, 1977, de K. Zanussi), Imperatyw (Imperativo, 1982, de K. Zanussi), Krótki film o zabijaniu (Breve Filme sobre Matar, 1988, de K. Kieslowski), Psy (Porcos, 1992, de W. Pasikowski), Ogniem i mieczem (A fogo e espada, 1999, de Jerzy Hoffman) e Życie jako śmiertelna choroba przenoszona drogą płciową (Como Doença Mortal Sexualmente Transmitida, 2000, de K. Zanussi), pelo qual obteve os prémios de Melhor Actor no Festival do Filme Polaco e no Festival Internacional de Cinema de Santa Bárbara, Nadziedja (Esperança, 2007, de Stanislaw Mucha). 

publicado por annualia às 09:40
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Anselmo Duarte (1920-2009...

Rosanna Schiaffino (1938-...

Robert Ginty (1948-2009)

Trevor Rhone (1940-2009)

Patrick Swayze (1952-2009...

Veneza

Christian Poveda (1955-20...

Raul Solnado (1929-2009)

John Hughes (1950-2009)

Budd Schulberg (1914-2009...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO