Segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Diego Jesús Jiménez (1942-2009)

 

Poeta espanhol, também ensaísta, jornalista e pintor (Madrid, 24.12.1942 – ibid., 13.9.2009) cuja obra foi distinguida ao mais alto nível. O seu primeiro livro de poesia foi Grito con carne y lluvia (1961), obtendo o Prémio do Clube Internacional de Poesia de Jerez de la Frontera, seguindo-se-lhe La valija (1962) e Ámbito de entonces (1973). Em 1964 for a distinguido com o Prémio Adonais pela obra La ciudad e, em 1968, Coro de ánimas obteve o Prémio Nacional de Poesia. Diversamente premiados foram também os livros Fiesta en la oscuridad (1976), Sangre en el bajorrelieve (1979) ou Interminable imagen (1995). Em 1999, Bajorrelieve foi galardoado com o Prémios Hispano-americano de Poesia Juan Ramón Jiménez. Entre 1996 e 1997, Itinerario para náufragos venceu o Prémio Internacional de Poesia Jaime Gil de Biedma, o Prémio Nacional da Crítica e o Prémio Nacional de Poesia.

publicado por annualia às 11:14
link do post | comentar
Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

O regresso de Jorge de Sena

 

ENVOI

Depois de morto o quê? Queimado, não.

E também não fechado num caixão,

sempre padeci de claustrofobia. Quero

- se possível - secar ao sol e à chuva,

sem ser enterrado. Certo que hão-de pôr-me

debaixo da terra nalguma parte,

se não me engavetarem num jazigo.

Não quero regressar à terra maternal,

que não me atrai como memória de útero,

nem me quero arquivado em lata de conserva.

Posso pedir, por exemplo, que me deitem ao mar:

Não deitarão. Será que me enterravam

numa praia, na areia, aonde as águas viessem?

Se têm de me enterrar, que seja assim,

Mas não vestido, nem penteado, nem lavado.

Nu. Que me penteie o mar molhando a areia,

e eu de mim escorra as águas que me lavem.

Nas grandes marés vivas ondas recurvadas

virão estrondear por sobre mim, rapando

em espuma rechinante a areia que me cobre.

Nada ouvirei, nem sentirei, carcassa,

emerge um pé daqui, além um braço,

e mais acima uma caveira rindo.

Se o mar me não levar, enterrem-me depois

como quiserem, descarnado e limpo.

Terei assim, ao menos por um tempo,

o sol, a areia, o mar por minha conta

como quem vai deitar-se numa praia

e nu, olhando o céu, sonha de si

e de outros corpos nus na areia ardendo

que o som das águas cobre como amor que molha

num refrescar da pele acariciada ao vento.

 

18.12.1971

JORGE DE SENA

em 40 Anos de Servidão, Moraes Editores, 1979

 

Ver notícia aqui.

 

 

publicado por annualia às 23:04
link do post | comentar
Domingo, 6 de Setembro de 2009

Keith Waterhouse (1939-2009)

 Keith Waterhouse, British novelist and screenwriter

Jornalista e escritor britânico (Hunslet, Leeds, 6.2.1939 – Londres, 4.9.2009), autor de Billy Liar (1959) e Jeffrey Bernard Is Unwell (1989) e celebrado colunista do Daily Mail. Crítico da degradação da língua inglesa, fundou a Association for the Abolition of the Aberrant Apostrophe para combater a má pontuação nos letreiros públicos. Além do romance There Is A Happy Land (1956), Jubb (1963), The Buckett Shop (1968), Everything Must Go (1969), Mondays, Thurdays (1976), Office Life (1978), The Collected Letters of Nobody (1986), entre muitas outras obras, Keith Waterhouse escreveu com Willis Hall o argumento/guião de Whistle Down the Wind (1961, de Bryan Forbes) e A Kind of Loving (1962, de John Schlesinger) e também de Billy Liar, transposto para cinema por John Schlesinger, em 1963. Colaborou em numerosas séries de televisão, como argumentista e roteirista, destacando-se a série That Was the Week That Was (1962-1963).

publicado por annualia às 11:34
link do post | comentar
Terça-feira, 28 de Julho de 2009

Candidatos ao Prémio Booker

Anunciada a lista longa dos candidatos:

Byatt, AS The Children's Book (Random House - Chatto and Windus)

Coetzee, J M Summertime (Random House - Harvill Secker)

Foulds, Adam The Quickening Maze (Random House - Jonathan Cape)

Hall, Sarah How to paint a dead man (Faber and Faber)

Harvey, Samantha The Wilderness (Random House - Jonathan Cape)

Lever, James Me Cheeta (HarperCollins - Fourth Estate)

Mantel, Hilary Wolf Hall (HarperCollins - Fourth Estate)

Mawer, Simon The Glass Room (Little, Brown)

O'Loughlin, Ed Not Untrue & Not Unkind (Penguin - Ireland)

Scudamore, James Heliopolis (Random House - Harvill Secker)

Toibin, Colm Brooklyn (Penguin - Viking)

Trevor, William Love and Summer (Penguin - Viking)

Waters, Sarah The Little Stranger (Little, Brown - Virago)

 

 

publicado por annualia às 14:50
link do post | comentar
Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Prémio de Literatura da União Europeia

Foram anunciados, na semana passada, os nomes dos 12 autores europeus distinguidos pelo Prémio de Literatura da União Europeia, atribuído este ano pela primeira vez pela Comissão Europeia, a Federação Europeia de Livreiros, o Conselho de Escritores Europeus e a Federação Europeia de Editores.

 

O autor sueco Henning Mankell foi nomeado Embaixador do Prémio de Literatura da União Europeia.

Os vencedores em cada um dos países participantes foram:

Paul Hochgatterer (Áustria) / Die Süsse des Lebens (2006)
Mila Pavicevic (Croácia) / Djevojčica od leda i druge bajke (2006)
Pavol Rankov (Eslováquia) / Stalo sa prvého septembra (alebo inokedy) (2008)
Emanuelle Pagano (França) / Les Adolescents troglodytes (2007)
Scéczi Noémi (Hungria) / Kommunista Monte Cristo (2006)
Karen Gillece (Irlanda) / Longshore Drift (2006)
Daniele Del Giudice (Itália) / Orizzonte mobile (2009)

Laura Sintija Černiauskaitė(Lituânia) / Kvėpavimas į marmurą (2006)
Carl Frode Tiller (Noruega) / Innsirkling (2007)
Jacek Dukaj (Polónia) / LÓD (2007)
Dulce Maria Cardoso (Portugal) / Os Meus Sentimentos (Asa, 2005)
Helena Henschen (Suécia) / I skuggan av ett brott (2004)
 

O júri português foi presidido por Fernando Guedes, editor e antigo presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, da Federação Europeia de Editores e da União Internacional de Editores, e constituído por Henrique Mota, editor, vice-presidente da APEL e representante português na Federação Portuguesa de Editores, José Manuel Mendes, escritor e presidente da Associação Portuguesa de Escritores, Margarida Dias Pinheiro, livreira e antiga representante portuguesa na Federação Europeia de Livreiros, Maria Carlos Loureiro, do Ministério da Cultura.

Dulce Maria Cardos nasceu em Trás-os-Montes, em 1964, indo para Angola ainda criança, regressando em 1975. Formou-se em Direito, na Faculdade de Direito de Lisboa. O seu primeiro romance foi Campo de Sangue (2002).

 

 

publicado por annualia às 11:23
link do post | comentar
Terça-feira, 21 de Julho de 2009

Frank McCourt (1930-2009)

 

Escritor americano de ascendência irlandesa (Nova Iorque, 19.8.1930 – ibid., 19.7.2009), cuja infância em condições de miséria e doença, na Irlanda dos seus pais, descreveu no seu primeiro livro autobiográfico Angela’s Ashes. No regresso aos EUA, serviu no exército, após o que fez alguns estudos, conseguindo ser aceite na Universidade de Nova Iorque. Após a formação, tornou-se professor de «escrita criativa» no sistema escolar público de Nova Iorque durante quase três décadas. Quando se retirou, escreveu Angela’s Ashes (1996), ganhando o National Book Critics Circle Award, o Los Angeles Times Book Award, o ABBY Award e o Prémio Pulitzer, na categoria de biografia. O livro está hoje traduzido em dezassete línguas. A saga biográfica continuou com ‘Tis (1999) e Teacher Man (2005).

publicado por annualia às 11:50
link do post | comentar

Prémio Peter Pan/ Alice Vieira

A edição sueca de Flor de Mel, uma obra de literatura juvenil de Alice Vieira (publicada pela Lusima Böcker, com o título Honungsblomma), acaba de ser distinguida com a Estrela de Prata do Prémio Peter Pan, instituído em 2000 pelo IBBY da Suécia e pela Feira do Livro de Gotemburgo. A entrega do prémio acontecerá no próximo mês de Setembro. [via Bibliotecário de Babel]

Escritora portuguesa (n. Lisboa, 1943). Colaborou no suplemento juvenil do Diário de Lisboa e depois nas redacções do Diário Popular e do Diário de Notícias. Distinguida com os Prémios Ano Internacional da Criança (em 1979, pelo romance Rosa, Minha Irmã Rosa) ou Calouste Gulbenkian (em 1983, por Este Rei que Eu Escolhi; em 1994, pelo conjunto da sua obra), é uma das principais autoras nacionais de literatura infanto-juvenil. Entre os títulos da sua vasta obra contam-se: Paulina ao Piano (1979), A Espada do Rei Afonso (1981), Chocolate à Chuva (1982), Graças e Desgraças da Corte de El-Rei Tadinho (1984), Flor de Mel (1986), Viagem à Roda do Meu Nome (1987), , A Lua Não Está à Venda (1988), Úrsula, a Maior (1990), Leandro, Rei da Helíria (teatro, 1991), Promontório da Lua (1991), Se Perguntarem por Mim, Digam que Voei (1997).

 

publicado por annualia às 10:29
link do post | comentar
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

Verbo Clássicos: vinte e um títulos publicados

 


Ver o blog aqui.

Versão YouTube

 

 

 

publicado por annualia às 17:28
link do post | comentar
Terça-feira, 14 de Julho de 2009

Eduardo Chamorro (1946-2009)

Chamorro
Escritor e jornalista espanhol (Madrid, 1946 – ibid., 13.7.2009). Colaborou com vários periódicos, nomeadamente Cambio 16 e La Voz de Galicia, onde publicou o seu último texto. Foi autor de reportagens e ensaios histórico-políticos, como 25 años sin Franco,
Felipe González. Un hombre a la espera ou Viaje al centro de UCD. O seu volume de contos Relatos de la Fundación data de 1980 e, no ano seguinte, candidatou-se ao Prémio Planeta (diz-se que por aposta com Juan Benet) com El súbdito de la noche, ano em que também publicou Galería de Borrachos. De 1989, é Yo, conde-duque de Olivares, a que se seguiu, em 1991, El enano del rey, o mesmo ano do romance Guantes de segunda mano. Em 1992, foi finalista do Prémio Planeta com uma obra sobre Velázquez, La cruz de Santiago, mas tendo sido o romance La prueba del labirinto a receber o prémio Fernando Sánchez Dragó.

publicado por annualia às 15:53
link do post | comentar
Sexta-feira, 10 de Julho de 2009

Grande Prémio de Romance e Novela/ Julieta Monginho

A Terceira Mãe, de Julieta Monginho, editado pela Campo das Letras, venceu o Grande Prémio de Romance e Novela APE/Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas. Ver notícia no Público.

Julieta Monginho nasceu em Lisboa, em 1958. É Licenciada em Direito. Em 1996 publicou o primeiro romance, Juízo Perfeito (D. Quixote). Seguiram-se: A Paixão Segundo os Infiéis (D. Quixote, 1998), À Tua Espera (D. Quixote, 2000, Prémio Máxima de Literatura), Dicionário dos Livros Sensíveis (Campo das Letras, 2000), Onde está J.? (Campo das Letras, 2002), Dez Contos Com Livro Dentro (co-autoria, Campo das Letras, 2004) e A Construção da Noite (Dom Quixote, 2005). Colabora regularmente em revistas literárias e jurídicas, bem como no blogue Arte dos Dias.

 

publicado por annualia às 10:24
link do post | comentar
Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

Vasily Aksyonov (1932-2009)

 Vasily Aksyonov, Russian dissident writer
Escritor russo (Kazan, 1932 – Moscovo, 6.7.2009) que alcançou proeminência no breve período de abrandamento do regime soviético que se seguiu à morte de Estaline. Os pais tinham sido vítimas das purgas estalinistas de 1937 e Aksyonov passou parte da infância no gulag. Em 1956 licenciou-se em Medicina, que exerceu enquanto florescia a sua vocação de escritor. Inicialmente, o escritor conseguiu sobreviver no interior do regime soviético, alcançando mesmo alguma notoriedade, sobretudo pela suas capacidade estilística, mas tanto a sua atitude pessoal como a sua escrita conduziram-no a uma progressiva dissidência. No romance «A ilha de Crimeia» imagina o que teria sido a vida naquela península do mar Negro se os russos brancos tivessem vencido os bolcheviques. Em 1980, após a publicação em Itália do romance «A queimadura», Aksyonov foi forçado ao exílio nos EUA, onde foi professor e continuou a escrever obras como In Search of Melancholy Baby, onde fala da sua experiência de emigração, The Negative of The Positive Character, uma colectânea de contos, ou o épico Generations of Winter, no qual narra o impacto do estalinismo numa família moscovita ao longo de três gerações e que foi transposto para televisão, na Rússia, em 2004.

 


 

publicado por annualia às 10:05
link do post | comentar
Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

Prémio Strega 2009/ Tiziano Scarpa

O romance Stabat Mater (2008) de Tiziano Scarpa, editado pela Einaudi, venceu a 63.ª edição do Prémio Strega apenas com um voto de diferença par Il bambino che sognava la fine del mondo de Antonio Scurati, editado pela Bompiani. A acção do romance de Scarpa decorre em Veneza na primeira metade do século XVIII e tem como protagonista uma aluna de Vivaldi. È descrita como uma «obra narrativa intimista e de profunda respiração poética».
Tiziano Scarpa (n. Veneza, 1963) é autor de narrativas, de poesia e teatro, além de produzir textos e roteiros para palco e rádio. É colaborador de jornais e revistas. Entre as suas obras publicadas contam-se: Madrigale (teatro, 1991), Occhi sulla graticola (romance, 1996), Amore® (contos, 1998), Corriamo a casa (teatro, 2000), Nelle galassie oggi come oggi. Covers (poesia, 2001), Cosa voglio da te (contos, 2003), Kamikaze d’occidente (romance, 2003), Groppi d'amore nella scuraglia (poesia, 2005), Comuni mortali (teatro, 2005), Gli straccioni (teatro, 2005), Il professor Manganelli e l'ingegner Gadda (teatro, 2005), La custode (teatro, 2006), L’ultima casa (teatro, 2007), Amami (contos, 2007), L’inseguitore (teatro, 2008), Discorso di una guida turistica di fronte al tramonto (poesia, 2008).


 

 


 

 

publicado por annualia às 11:46
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio Goncourt de Poesia...

Prémio Cervantes 2009/ Jo...

Francisco Ayala (1906-200...

Prémio Goncourt/ Marie Nd...

Prémio Planeta/ Ángeles C...

Prémios do PEN Clube Port...

Rentrée littéraire

Prémio Leya 2009/ João Pa...

Jacques Chessex (1934-200...

Prémio Nobel da Literatur...

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO