Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

Charles Matton (1931-2008)

 

Realizador e argumentista, também pintor e escultor, francês (Paris, 1931 - 19.11.2008). Expôs os seus primeiros trabalhos no início da década de 60, e, em 1967, realizou a curta-metragem La Pomme ou l’histoire d’une histoire (Grande Prémio do Festival d’Hyères e da Bienal de Paris). L’Italien des Roses foi a sua primeira longa metragem (1972). Em 1988, realizou, com a sua mulher, Sylvie Matton, Douanes, em que lança um olhar sobre o seu trabalho de artista plástico para «decifrar as aparências».

Em 1976 assinou Spermula e, em 1993, La Lumière des Etoiles Mortes onde explora a sua infância. Rembrandt (1999), interpretado por Klaus Maria Brandauer, foi premiado pelo guião.
Expôs em França (por exemplo no Centro Pompidou em 1989), em Tóquio  e nos EUA. Está representado em diversas colecções nacionais francesas.

O seu trabalho mereceu a atenção de figuras como Jean Baudrillard ou Françoise Sagan. Publicou, em 2002, com o filósofo Alain Finkielkraut e o pintor Ernest Pignon-Ernest, o ensaio Etre artiste aujourd'hui (Editions du Tricorne).

 

publicado por annualia às 09:47
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio de Poesia Luís Mig...

Prémio Pessoa 2009/ D. Ma...

Prémio Goncourt de Poesia...

Prémio Cervantes 2009/ Jo...

O Homem da Capa Verde

Anselmo Duarte (1920-2009...

Francisco Ayala (1906-200...

Claude Lévi-Strauss (1908...

Prémio Goncourt/ Marie Nd...

Alda Merini (1931-2009)

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO