Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009

Prémios de Edição LER Booktailors

Há mais shortlists no blog dos prémios de edição.

publicado por annualia às 11:15
link do post | comentar
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

John Updike (1932-2009)

 

 

Escritor norte-americano (Reading, Pensilvânia, 18.3.1932 - Beverly Farms, Massachusetts, 27.1.2009) que começou por publicar contos e poesia na revista New Yorker, editando o primeiro livro (The Carpentered Hen and Other Tame Creatures, recolha de poemas) em 1958. Autor cimeiro da literatura norte-americana contemporânea, um dos primeiros a expressar a ansiedade do homem americano do pós-guerra, visíveis por exemplo no âmbito dos comportamentos sexuais, que observou com realismo, agudeza e humor, foi distinguido com o National Book Award (em 1963 e 1982, pelos romances The Centaur e Rabbit Is Rich), o Prémio Pulitzer de Ficção (em 1982 e 1991, respectivamente, pelos romances Rabbit Is Rich e Rabbit at Rest) e o National Book Critics Circle Award (pelos romances anteriores e, em 1984, pelo livro de ensaios Hugging the Shore).

Algumas obras: The Poorhouse Fair (romance, 1959), The Same Door (contos, 1959), Rabbit, Run (romance, 1960), Pigeon Feathers (contos, 1962), Telephone Poles and Other Poems (poesia, 1963), A Child’s Calendar (poesia, 1965), Of the Farm (romance, 1965), Assorted Prose (ensaio, 1965), The Music School (contos, 1966), Couples (romance, 1968), Bech: A Book (romance, 1970), Rabbit Redux (romance, 1971), Museums and Women and Other Stories (contos, 1972), Buchanan Dying (teatro, 1974), Picked-Up Pieces (ensaio, 1975), trilogia designada «Scarlet Letter» (A Month of Sundays, 1975; Roger’s Version, 1986; S., 1988); Marry Me (romance, 1976),  Tossing and Turning (poesia, 1977),  The Coup (poesia, 1978), Too Far To Go: The Maples Stories e Problems and Other Stories (contos, 1979), Bech Is Back (romance, 1982), Facing Nature (poesia, 1985), The Witches of Eastwick (romance, 1984), Trust Me (contos, 1987), Just Looking: Essays on Art (ensaio, 1989), Odd Jobs (ensaio, 1991), Memories of the Ford Administration (romance, 1992), Collected Poems 1953-1993 (poesia, 1993), Brazil (romance, 1994), The Afterlife and Other Short Stories (contos, 1994), Rabbit Angstrom: A Tetralogy (romance, 1995), Golf Dreams: Writings on Golf (ensaio, 1996), In the Beauty of the Lilies (romance, 1996), Toward the End of Time (romance, 1997), Bech at Bay: A Quasi-Novel (romance, 1998), More Matter (ensaio, 1999), Gertrude and Claudius (romance, 2000), Seek My Face (romance, 2002).
 

Ver textos e comentários aqui.

publicado por annualia às 10:10
link do post | comentar
Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

Marie Glory (1905-2009)

Actriz francesa, de seu verdadeiro nome Raymonde Louise Marcelle Toully (Mortagne-au-Perche, 3.3.1905 - Cannes, 24.1.2009). Foi uma das primeiras estrelas do cinema francês, primeiro conhecido pelo nome de Arlett Genny e depois (1925) rebaptizada por Marcel L'Herbier com o nome por que viria a tornar-se celebridade.

Alguns filmes: Le miracle des loups (1924, de Raymond Bernard), Monsieur le directeur (1924, de Robert Saidreau), Les dévoyés / La nuit du 3 : Episódios 1 - Vers la ruine, 2 - La nuit rouge, 3 - Les chemins de la vérité, 4 - À la manière de Sherlock Holmes (1925, de Henri Vorins), La maison sans amour (1927, de Emilien Champetier), L’argent (1928, de Marcel L’Herbier), L’enfant de l’amour (1929, de Marcel L’Herbier), Les chevaliers de la montagne (1930, de Mario Bonnard), La folle aventure (1930, de André-Paul Antoine e Carl Froelich), Le roi de Paris (1930, de Leo Mittler), L’amoureuse aventure (1931, de Wilhelm Thiele), Tu seras duchesse (1931, de René Guissart), Monsieur, madame et Bibi (1932, de Jean Boyer e Max Neufeld), Une étoile disparaît (1932, de Robert Villers), La femme idéale (1933, de André Berthomieu), Les amants terribles (1935, de Marc Allégret), Avec le sourire (1936, de Maurice Tourneur), Les gens du voyage (1937, de Jacques Feyder), Terre de feu (1938, de Marcel L’Herbier e Giorgio Ferroni), Une femme en danger (1939, de Max Neufeld), Adorables créatures (1952, de Christian-Jaque), Le célibataire (1955, de Antonio Pietrangeli), Et dieu… créa la femme (1956, de Roger Vadim), Rafles sur la ville (1957, de Pierre Chenal), La chatte (1958, de Henri Decoin), Ramuntcho (1958, de Pierre Schoendoerffer), La chatte sort ses griffes (1959, de Henri Decoin).
 

 

publicado por annualia às 15:34
link do post | comentar
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Leo L. Fuchs (1929-2009)

 

 

Fotógrafo de origem austríaca (Viena, 14.6.1929 – Paris, 22.1.2009), foi para Nova Iorque ainda criança, aí desenvolvendo a sua paixão pela fotografia. Após a II Guerra Mundial regressou à Europa, dirigindo a sua objectiva para a actividade cinematográfica, fotografando numerosos filmes e tornando-se um dos que imortalizou diversas estrelas de cinema dos anos 50 e 60, entre os quais Marlon Brando, Paul Newman ou Audrey Hepburn. Em meados dos anos 60, tornou-se produtor nos Universal Studios. Entre os 14 filmes de que foi produtor, contam-se Gambit (1966, de Ronald Neame), The Secret War of Harry Frigg (1968, de Jack Smight), A Fine Pair (1969, de Francesco Maselli), La Mandarine (1972, de Edouard Molinaro), Le Mouton Enragé (1974, de Michel Deville) e Malone (1987, de Harley Cokeliss).

Em 2001, teve lugar em Nova Iorque uma exposição das suas obras e, em 2004, foi publicado um álbum com uma criteriosa selecção de fotografias.
Ver mais aqui.

publicado por annualia às 15:42
link do post | comentar

20 anos da morte de Salvador Dalí

 

Salvador Dalí (Figueres, 11.5.1904 - ibid., 23.1.1989)


«A fortuna e a excentricidade (usada como veículo de valorização pessoal) conjuram-lhe a ira e logo o anátema dos antigos companheiros, que lhe apõem o anagrama Avida Dollars, confessando, todavia, como Breton em 1952, que ele encarnou, durante três ou quatro anos, o espírito surrealista. Em Nova Iorque, influencia a moda e a publicidade, mas a sua pintura, desde 1937-1938, colocara-se à sombra de uma duvidosa influência rafaelesca, que provou não ser a mais adequada ao seu espírito. Regressando a Espanha, encontra-se com a tradição barroca nacional, embrenha-se em temas religiosos e, mais recentemente, pretendeu explorar «atomicamente» os seus modelos. Na densa floresta do estulto exibicionismo em que ele próprio e a sua obra se comprazem, é quase impossível descobrir a face autêntica de Salvador Dalí. A autobiografia que publicou não ajuda nada, evidentemente, a encontrar o homem. Mas a sua obra é, historicamente, da maior importância na arte deste século e o enigma Dalí assume, por vezes, o valor de um arquétipo.»
Fernando Guedes em Enciclopédia Verbo-Edição Século XXI.

A persistência da memória

 

 
publicado por annualia às 12:10
link do post | comentar

Claude Moliterni (1932-2009)

 

 photo de Claude Moliterni

Escritor francês (Paris, 21.11.1932 - ibid., 21.1.2009), autor de romances policiais (nos quais usou pseudónimos como Éric Cartier, Cehem, Olivier Fontaine, Karl von Kraft, Frank Sauvage, Yves Sinclair ou Marc Jourdan), mas sobretudo conhecido pelas suas ligações, como historiador e argumentista/guionista, ao mundo da Banda Desenhada.

Escreveu também peças radiofónicas, produziu discos e foi co-autor de uma história da música.

Em 1964, presidiu à SOCERLID (Société civile d'études et de recherches des littératures dessinées). Em 1966 criou Phénix, revista de estudos sobre BD, cuja redacção chefiou até 1977. Criador de exposições (por exemplo em 1967: Bande dessinée et figuration narrative, no Museu de Artes Decorativas de Paris). Co-fundador do Salão Internacional de Banda Desenhada de Angoulême (1974), participou na organização de diversos festivais e eventos, bem como em variadíssimos projectos editoriais: dirigiu Pogo-Poco (1969-1971) e Les Pieds Nickelés Magazine (1971-1972), chefiou a redacção das revistas Lucky Luke (1974-1975), Captain Fulgur (1980-1981), Pilote, Charlie Mensuel. (1973-1989), tendo sido director literário da Dargaud, director-geral da Gautier-Langereau (1989-1990) e co-fundador das edições Bagheera (1990-1998).
Co-autor de obras como Bande dessinée et Figuration narrative (1967), L'Histoire de la bande dessinée d'expression française (1972), L'Encyclopédie de la bande dessinée (1974-1975), l'Histoire mondiale de la bande dessinée (1980), L'Aventure de la bande dessinée (1990), Dictionnaire mondial de la bande dessinée (1994), Chronologie de la bande dessinée (1996).
Distinguido no seu país com os mais altos galardões, tendo sido feito Cavaleiro das Artes e das Letras, da Ordem de Mérito Nacional e da Legião de Honra.
Ver aqui informações detalhadas sobre o conjunto da sua actividade.

Ver também este depoimento.

 

publicado por annualia às 11:18
link do post | comentar

Prémios de Edição LER Booktailors

As primeiras shortlists (melhores capas de Gastronomia, Infanto-Juvenil, Não-ficção e Literatura) dos Prémios de Edição foram publicadas aqui.

publicado por annualia às 10:10
link do post | comentar
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Congresso Internacional de Promoção da Leitura

Congresso internacional de Promoção da Leitura

Fundação Calouste Gulbenkian

22 e 23 de Janeiro

Transmissão directa online.

publicado por annualia às 15:55
link do post | comentar
Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

Jaime Isidoro (1924-2009)


Pintor e galerista (Porto, 21.3.1924 - ibid., 21.1.12009), fundador, em 1978, da Bienal de Vila Nova de Cerveira. Estudou desenho e pintura na Escola Soares dos Reis, no Porto, e realizou na sua cidade a primeira exposição individual em 1945. Jaime Isidoro - História de Um Olhar, álbum feito em colaboração com Lurdes Castro, e o melhor testemunho do conjunto da sua obra pictórica, foi publicado pelas Edições Asa que, sobre o pintor,
publicita:

«A carreira de pintor de Jaime Isidoro (...) situa-se em dois momentos afastados no tempo que demarcam duas fases diferenciadas: uma primeira situada entre os meados dos anos 40 e os meados dos anos 50 do séc. XX e uma segunda desenvolvida a partir da segunda metade da década de 80 até à actualidade.
Naquela primeira fase, Jaime Isidoro foi largamente premiado, tendo recebido praticamente todos os prémios institucionais então atribuídos ma sua área.
O artista sempre manteve, paralelamente à actividade pictórica, uma vasta acção de animador cultural, galerista, professor, estando ligado a momentos fundamentais da história das artes plásticas na cidade do Porto e no país. Em 1954, funda a Galeria Alvarez, por onde passaram também nomes interessantes da arte portuguesa.
Evidenciando um interesse especial pela concretização de projectos culturais inovadores, promoveu os Encontros Internacionais de Arte nos anos 70 e editou, na mesma época, a Revista de Artes Plásticas, que teve colaboração dos principais críticos e artistas portugueses daquele período. Foi ainda responsável pela criação da Bienal de Vila Nova de Cerveira no início da década de 80. Em 1999, no âmbito da X Bienal, foi-lhe prestada uma grande homenagem.
Essencialmente reconhecido pela prática exímia da aguarela, Jaime Isidoro é um pintor versátil que conjuga uma delicada aprendizagem académica com um claro sentido inovador. As suas obras sobre o Porto encontram-se entre as que melhor souberam dar expressão iconográfica à cidade. Sem nunca sair de uma matriz considerada tradicional, permitiu-se, em diferentes momentos da sua carreira, e com certa contenção, assinar obras onde a ousadia deixa uma marca importante.»

publicado por annualia às 16:48
link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 19 de Janeiro de 2009

Tereza Coelho (1959-2009)


Jornalista e editora portuguesa (Quelimane, Moçambique, 2.3.1959 - Lisboa, 19.1.2009). Ver biografia
aqui.


*Conheci a Tereza Coelho em 1984, fomos colegas na Faculdade de Letras. Ela frequentava a cadeira (teoria da literatura) que lhe faltava para terminar o curso ou conseguir uma equiparação, já não sei bem. Rapidamente nos tornámos cúmplices no humor, nos gostos literários e numa comum atitude crítica (muito crítica) relativamente à Faculdade. E foi precisamente sobre esse tema que me convidou um dia, de surpresa, para escrever um texto para publicar no JL. Não nos voltámos a cruzar depois desses tempos, já distantes. Acompanhei de longe o seu percurso, recordando sempre a sua enorme generosidade.
Jorge Colaço

 

publicado por annualia às 15:32
link do post | comentar

Andrew Wyeth (1917-2009)

 

 

Pintor e ilustrador americano (Chadds Ford,Pensilvânia, 12.7.1917 – ibid., 16.1.2009). Realizou a sua primeira exposição individual em 1937, na galeria William Macbeth, em Nova Iorque. Membro do Instituto National Americano das Artes e Letras e da Academia Americana de Artes e Ciências, doutor honoris causa pelas universidades do Maine, Harvard, Dickinson, Swarthmore, Temple, Delaware, Northeasten e Tuft. Foi objecto de numerosas distinções, entre as quais a Medalha presidencial da Liberdade (1963), o Prémio Einstein (1967) e a Medalha do Congresso (1990), além de ter sido feito Cavaleiro das Artes e Letras de França e de ter sido eleito (1976) para a Academia Francesa de Belas-Artes.

Andrew Wyeth Autobiography

 


 

 


 

 

publicado por annualia às 12:47
link do post | comentar
Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

John Mortimer (1923-2009)

 

Escritor e advogado inglês (Hampstead, 21.4.1923 – Turville Heath, Chilterns, 16.1.2009), criador da personagem Horace Rumpole, um advogado de defesa que se tornou uma das mais bem sucedidas personagens humorísticas da ficção britânica, transposta depois para televisão (Rumpole of the Bailey). Estudou no Harrow e no Brasenose College, em Oxford, tendo iniciado a sua carreira de advogado em 1948. Trabalhou também como argumentista nos Pinewood Studios, durante a II Guerra Mundial. Exerceu esta actividade depois, esporadicamente, bem como a de guionista. Patrocinou, como advogado, alguns casos polémicos, sobretudo relativos a alegada pornografia. Escreveu também uma peça de sucesso, A Voyage Round My Father, além de vários outros livros de impressões e memórias.


 

 

publicado por annualia às 15:55
link do post | comentar
ANNUALIA
annualia@sapo.pt

TWITTER de Annualia

Artigos Recentes

Prémio de Poesia Luís Mig...

Prémio Pessoa 2009/ D. Ma...

Prémio Goncourt de Poesia...

Prémio Cervantes 2009/ Jo...

O Homem da Capa Verde

Anselmo Duarte (1920-2009...

Francisco Ayala (1906-200...

Claude Lévi-Strauss (1908...

Prémio Goncourt/ Marie Nd...

Alda Merini (1931-2009)

Arquivo

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

tags

todas as tags

pesquisar

 

Subscrever feeds

blogs SAPO